São Carlos e Rio Claro obtêm as piores notas na avaliação da gestão pública do TCE

A avaliação da gestão pública mede o cumprimento de metas, o envolvimento da população e os equipamentos de saúde disponíveis no município

04/03/24 às 10:28
por: Caroline Oliveira
Avaliação Da Gestão Pública
Araraquara Manteve A Nota De 2020, O Que Indica Estar Em Processo De Adequação À Normas Do Tce – Imagem: Tcesp

Avaliação da gestão pública revela que mais da metade das cidades na região de São Carlos e Araraquara não alcançaram notas satisfatórias no Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEG-M), elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP). Segundo os dados divulgados em janeiro, nenhum município obteve as classificações mais elevadas.

Avaliação da gestão pública do TCE

O IEG-M considera diversos aspectos, incluindo o planejamento adequado de políticas públicas, a realização de audiências públicas para engajar a população, o cumprimento das metas estabelecidas no plano plurianual e a qualidade da estrutura dos postos de saúde e dos programas de saúde da família.

As classificações das administrações municipais abrangem cinco categorias:

  • Nota A: altamente efetiva
  • Nota B+: muito efetiva
  • Nota B: efetiva
  • Nota C+: em fase de adequação
  • Nota C: baixo nível de adequação

Notas das cidades da região

Entre as cidades avaliadas, São Carlos, a maior da região, apresentou a pior nota em 2023. Já Araraquara manteve o mesmo índice desde 2020, indicando estar em fase de adequação.

Nenhuma das 42 cidades na área de cobertura do g1 São Carlos e Araraquara alcançou o nível mais alto do índice de avaliação da gestão pública. A situação das cidades classifica-se da seguinte forma:

  • Nota A: nenhuma cidade;
  • Nota B+: nenhuma cidade;
  • Nota B: três cidades (Brotas, Corumbataí e Tambaú);
  • Nota C+: doze cidades (Aguaí, Araraquara, Casa Branca, Itirapina, Matão, Porto Ferreira, Santa Cruz das Palmeiras, Santa Gertrudes, Santa Rita do Passa Quatro, São João da Boa Vista, Tapiratiba e Vargem Grande do Sul);
  • Nota C: vinte e sete cidades (Águas da Prata, Américo Brasiliense, Analândia, Araras, Boa Esperança do Sul, Caconde, Conchal, Descalvado, Divinolândia, Dourado, Gavião Peixoto, Ibaté, Itobi, Leme, Mococa, Motuca, Nova Europa, Pirassununga, Ribeirão Bonito, Rincão, Rio Claro, Santa Cruz da Conceição, Santa Lúcia, São Carlos, São José do Rio Pardo, São Sebastião da Grama e Trabiju).

Dessas, 36 cidades mantiveram o índice da avaliação da gestão pública realizada no ano anterior, enquanto quatro apresentaram melhorias e duas pioraram.

  • Brotas melhorou de C+ para B. Matão, Santa Gertrudes e Santa Rita do Passa Quatro subiram de C para C+.
  • Porto Ferreira caiu da nota B para C+. Santa Cruz da Conceição passou de C+ para C.