Entendimento do jornalismo

De todas as definições possíveis de jornalismo, o Correio do Interior entende e adota a prática que jornalismo é o conjunto de atividades que, seguindo certas regras e princípios, produz um primeiro conhecimento sobre fatos e pessoas. Qualquer fato e qualquer pessoa: uma crise política grave, decisões governamentais com grande impacto na sociedade, uma guerra, uma descoberta científica, um desastre ambiental, mas também a narrativa de um atropelamento numa esquina movimentada, o surgimento de um buraco na rua, a descrição de um assalto à loja da esquina, um casamento real na Europa, as novas regras para a declaração do Imposto de Renda ou mesmo a biografia das celebridades instantâneas.

O jornalismo é aquela atividade que permite um primeiro conhecimento de todos esses fenômenos, os complexos e os simples, com um grau aceitável de fidedignidade e correção, levando-se em conta o momento e as circunstâncias em que ocorrem. É, portanto, uma forma de apreensão da realidade.

Pratica jornalismo todo veículo cujo propósito central seja conhecer, produzir conhecimento, informar. O veículo cujo objetivo central seja convencer, atrair adeptos, defender uma causa, faz propaganda.  O Grupo Globo terá sempre e apenas veículos cujo propósito seja conhecer, produzir conhecimento, informar.

Princípios Editoriais

O Correio do Interior é um veículo jornalístico profissional, independente e não partidário.

O Correio do Interior segue as normas e técnicas do jornalismo profissional: faz a curadoria dos fatos apurados, investiga o que é necessário, hierarquiza as notícias, e publica o que é essencial para o interesse público.

Os valores editorias do jornal são firmados por três pilares que  incluem:

  1. Buscar a precisão e a imparcialidade na descrição dos fatos;
  2. Ser pluralista e apartidário, estimulando o debate sobre temas de relevância para sociedade;
  3. Reconhecer e corrigir seus erros.

Política de Conteúdo

Nudez / Conteúdo sexual

O Correio do Interior não permite que conteúdos de nudez ou conteúdo sexual sejam reportados.

O que viola a política?

  • Seios, mamilos, nádegas ou genitais femininos explicitamente expostos
  • Filmagens ou imagens de cirurgia em geral que demostram nudez.
  • Filmagem ou imagens de órgãos genitais ou ânus estimulantes, mesmo se acima ou sob as roupas
  • Filmagens ou imagens de objetos sexuais inanimados (por exemplo, brinquedos sexuais, réplicas de órgãos sexuais etc.)
  • Relações sexuais ou outros subprodutos da atividade sexual, incluindo ilustração, simulação e animação
  • Celebridade ou vida ou história sexual pessoal
  • Conteúdo com foco em prazeres sexuais
  • Conteúdo que promova ou forneça links para sites pornôs, adultos ou censurados
  • Conteúdo destinado a promover atos sexuais
  • Conteúdo que sexualiza as pessoas de forma inadequada
  • Conteúdo que inclui poses sexuais, movimento sugestivo (como dança sexual) ou linguagem sugestiva, incluindo insinuações sexuais ou alusões à relação sexual
  • Conteúdo que pode ser interpretado como promoção de um ato sexual em troca de compensação
  • Conteúdo que de alguma forma promove ou facilita o tráfico de pessoas ou atos sexuais compensados

Linguagem vulgar e profanação

Não permitimos conteúdos com obscenidades, palavrões ou linguagem gratuita que possam ser inadequados para públicos menores de 18 anos.

O que viola a política?

  • Qualquer profanidade e vulgaridade desbloqueada em uma manchete, mesmo que a própria linguagem obscena seja a notícia
  • Palavrões e vulgaridades excessivas desbloqueadas em todo o corpo do texto, mesmo que a própria linguagem obscena seja a notícia
  • Palavrões e vulgaridades censurados no corpo do texto, quando os palavrões em si não são notícia e são dirigidos a alguém e têm caráter sexual ou depreciativo
  • Gestos grosseiros ou movimentos vulgares desbloqueados, mesmo que os próprios gestos ou movimentos sejam a notícia.

Conteúdo falso ou enganoso

O Jornal Correio do Interior não é um lugar para desinformação, ou mal informação. Produzimos informações e conteúdos de mais diferentes editoriais e secções, amplamente apurados e checados para que possa gerar bem-estar, segurança e confiança do público.

O que viola a política?

  • Afirmações sem fundamento e sem fundamento apresentadas como fato. Por exemplo, alegações de saúde não especializadas que colocam em risco a saúde e segurança públicas, como a promoção de curas falsas ou conselhos antivacinação
  • Relatos de denúncias – criminais ou não – que não atribuam informações a uma fonte específica
  • Acusações infundadas de comportamento ilegal ou antiético sobre indivíduos, grupos ou empresas
  • Informações falsas ou enganosas que impedem a integridade de uma eleição ou a participação cívica de um indivíduo ou grupo
  • Alegações falsas ou enganosas sobre os resultados de uma eleição que podem levar à interferência no processo eleitoral ou no processo de contagem de votos
  • Artigos com citações em um título que nunca aparecem no corpo da história e não são atribuídos a nenhuma fonte
  • Vídeo ou imagens manipuladas digitalmente com o objetivo de obscurecer fatos e / ou distorcer informações
  • Conteúdo que se faz passar por uma pessoa, grupo, marca ou empresa
  • Conteúdo que implique falsamente em ter uma afiliação ou endosso de outro indivíduo, organização, produto ou serviço