Prisão de Lucas di Mario vira assunto em São Roque

No começo da noite desta segunda-feira (11), informações sobre a prisão de Lucas Luis di Mario, popularmente conhecido como Lucas di Mario, virou repercussão em São Roque, interior de São Paulo.

Lucas di Mario, de 39 anos, é acusado de estuprar um jovem menor de idade em uma balada. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de São Roque, desde que o caso foi registrado na delegacia dois dias depois do ocorrido, no dia 26 de agosto.

Conforme o boletim de ocorrência, o jovem disse que foi estuprado por Lucas di Mario num carro no estacionamento da balada Pepper. Ele foi a princípio dopado após receber uma bebida oferecida pelo acusado. Ele ainda disse que antes do estupro, Lucas tentou por diversas vezes beija-ló, o que configura assédio sexual.

Contudo, informações sobre a prisão de Lucas se tornou assunto entre muitos grupos de redes sociais. O Jornal Correio do Interior apurou no CNJ – Conselho Nacional de Justiça que até o momento não consta mandado de prisão contra Lucas.

No Tribunal de Justiça de São Paulo também não consta a informação até o momento de publicação desta matéria. Mas de certa maneira a prisão temporária deve ser expedida, conforme apurado pelo Jornal Correio do Interior e não ser pública a informação no sistema do CNJ e TJ, por envolver um menor de idade, sendo segredo de justiça.

Exame comprovou estupro

Em meio as investigações, uma testemunha do caso disse que o amigo, vítima do estupro, foi levado para um carro com Lucas di Mario, onde ocorreu o crime. O carro estava no estacionamento da Pepper Club.

A testemunha afirma que foi Lucas quem levou o amigo para o carro, bem como cometeu o estupro, tendo outros homens no carro. O carro a princípio seria de Lucas di Mario, um citroën C4 quatro porta na cor branca. Antes mesmo de ser estuprado, o jovem também relatou a Polícia que insistentemente Lucas tentou beijá-lo diversas vezes dentro da balada, o que configura assedio sexual.

O adolescente passou por exame médico, que constatou que houve relação sexual. Ele também deve ser submetido a um exame de corpo de delito, e substâncias encontradas no corpo dele, já que a princípio, o acusado teria servido a ele uma bebida adulterada por uma substância.

Nota da Pepper

Em nota, a Pepper disse que os seguranças do estabelecimento não notaram nenhuma situação atípica no dia do crime, que entregou à polícia todas as imagens das câmeras de monitoramento do local e que colabora com as investigações.

O que Lucas di Mario diz?

Em um vídeo nas redes sociais, Lucas que é dono da agência de marketing – Agência Like Estrátegia, disse que não fez nada. Ele ainda disse que está assustado com tudo que está acontecendo, e que confia na Justiça de Deus e dos homens, que está à disposição para colaborar com as investigações.

Após esse pronunciamento, Lucas não movimentou mais as redes sociais, bem como não foi mais visto na cidade. A coluna “O Informante” tentou contato com advogado de Lucas para falar sobre, mas ele não foi localizado.