Prefeito de Mairinque cria projeto para vender a cidade

O Prefeito de Mairinque, interior de São Paulo, Antonio Alexandre Gemente, literalmente colocou a cidade à venda. Isso porque o prefeito, popularmente conhecido como Gemente, criou um projeto de ordem do executivo, para venda de diversos prédios e terrenos públicos da cidade.

Em questão, Toninho Gemente enviou o projeto de lei 62/2023 para votação na Câmara de Vereadores, para que seus aliados de base, votem e aprovem a solicitação.

Durante a sessão desta segunda-feira (11), os vereadores de oposição, como a vereadora Emily Idalgo, disse que a venda dos imoveis é uma estratégia para ser reeleito nas eleições municipais de 2024.

Ao que apurado pela Coluna “O Informante”, dentro do projeto de venda de prédios, terrenos e demais locais ‘públicos, o prefeito já tem um pré-acordo de venda com empresários locais. Inclusive um importante empresário de São Roque já teria o interesse de comprar o local de uma unidade básica de saúde e a antiga biblioteca da cidade, ao lado do São Roque Supermercados na vila Sorocaba.

O vereador Bruno TAM, também comentou na sessão sobre a situação, e disse que é totalmente contra o projeto. Contudo, o vereador André da Terraplanagem, pediu que o projeto fosse adiado por suas sessões.

Em situação precária, Mairinque está à venda…

O vereador Edicarlos em sessão destacou os inúmeros problemas que a cidade enfrenta e por ora o prefeito decide vender locais públicos para fazer obras de situação de recapeamento e visando sua reeleição.

Entre os problemas que os moradores da cidade enfrentam, o parlamentar destacou que não há bombeiros na cidade há dois meses. Atualmente o corpo de bombeiros de Mairinque é quem atende Mairinque. Além disso, não há medicamentos em postos de saúde, horários de ônibus foram reduzidos para empresa e a prefeitura ter economia, bem como não há segurança pública.

Brevemente ao que apurado pela coluna “O Informante”, a questão de reduzir os horários de ônibus na cidade, afetando estudantes, trabalhadores e até mesmo a economia local, faz com que a Prefeitura economize R$ 200 mil por mês

O projeto

Brevemente o projeto destaca em ofício que:

“O Município carece de obras de infraestrutura, tais como o recape e pavimentação asfáltica de importantes vias públicas e obras de reforma e/ou construção de próprios Municipais, e também a aquisição de máquinas, veículos e equipamentos, para melhor desenvolvimento dos serviços de manutenção e limpeza pública”.

Em um trecho do projeto, a prefeito destaca que decidiu vender alguns prédios e locais públicos da cidade por questão de não estarem em uso e serem alvo de vandalismo.

Em suma, a Prefeitura colocou dez espaços públicos para venda e se aprovado o projeto, deve colocar mais espaço à venda. Os espaços à venda não puderam ser listados nesta matéria, já que a Prefeitura criou uma lista codificada.