Policial matou colegas em Salto por vingança

Na manhã desta segunda-feira (15), um caso literalmente policial tomou conta da cidade de Salto, interior de São Paulo, e chocou a todos os moradores da cidade.  Um Policial trancou os colegas de trabalho em uma companhia da PM, e matou dois colegas com um fuzil.

O caso aconteceu por volta das 9 horas da manhã na 3ª Companhia da Polícia Militar. O policial que matou os dois colegas é o sargento Gouveia. Ele entrou em uma sala da companhia, pegou um fuzil, trancou os dois colegas de trabalho em uma sala e matou ambos. 

As vítimas são o sargento Roberto da Silva e o capitão Josias Justi, comandante da PM na cidade.

Após matar os colegas, ele se entregou e foi preso. Em suma, a Polícia trabalha na hipótese de ter sido um crime de vingança.

Brevemente ao que apurado pelo Jornal Correio do Interior, o Polícia não teria gostado da escala de trabalho dele e da esposa que também é Policial, e assim planejou matar os dois colegas.

Porém, outra situação que a Polícia está investigando, é que o crime pode ter relação com situação amorosa, ou outras palavras, crime passional. 

Demais Policiais que  estavam na companhia, disseram que ouviram três disparos. O Corpo de Bombeiros foi acionado para resgate, mas as vítimas, porém os Policiais não resistiram.

Nota da Polícia Militar sobre ocorrido

¨É com extremo pesar que a Polícia Militar informa que nesta segunda-feira (15), por volta das 9h, dois policiais militares foram atingidos por disparos de arma de fogo efetuados por um Sargento da Instituição por razões ainda a serem esclarecidas. O crime ocorreu nas dependências da 3ª Companhia do 50º Batalhão de Polícia Militar do Interior (50º BPM/I), situada na cidade de Salto. Infelizmente, as vítimas entraram em óbito. Todas as providências de Polícia Judiciária Militar estão em andamento neste momento e a Corregedoria da Instituição acompanha as apurações¨

Prefeitura de salto decreta luto 

A Prefeitura de Salto  divulgou uma nota pública de pesar e decretou luto de três dias pela morte de dois policiais militares.