Na década de 90, Trem levava moradores de Mairinque para praia

Na década de 90, especificamente em 1995, quando a extinta FEPASA – Ferrovia Paulista operava, existia uma linha que era sucesso aos fins de semana.

Sobretudo, essa linha era um grande sucesso, pois fazia viagens de Mairinque para a praia – litoral paulista, com destino na cidade de Mongaguá.

O trem de passageiros partia de uma estação em Sorocaba, logo passava pela grandiosa e esplêndida estação de Mairinque. De trem o trajeto tinha uma distância de 160 quilômetros, passando pela fabulosa Serra do Mar. 

O trem levava pouco mais de 10 horas para chegar ao litoral, ida e volta. 

Atualmente, uma viagem de Mairinque para Mongaguá, por meio de rodovia, leva duas horas, em um trajeto de 160 quilômetros, passando pelo Rodoanel Mário Covas.

Contudo, as viagens do trem de Mairinque até a praia aconteciam apenas uma vez por mês. As viagens tiveram início em 15 de janeiro de 1995.  Durante a viagem o trem passava por 32 túneis. 

Brevemente, em um trecho do percurso, os passageiros ficavam encantados com magnífica imagem, uma cascata chamada Véu de Noiva, com 60 metros de altura, emoldurada por rochedos, a poucos metros da ferrovia. Ela existe até os dias atuais. 

Para ir até a praia os passageiros da época tinham que embarcar nos vagões às 5h, inicialmente com partida de Sorocaba e chegava a Mongaguá por volta de 11h, em uma velocidade média de 60 km/h. Todavia, ao chegar na praia, os passageiros se divertiam na praia e visitaram pontos turísticos, amigos e familiares.

Em suma, às 16h30, o trem retornava para Mairinque e Sorocaba.

A passagem do trem turístico custa R$ 23 reais (ida e volta). Na época, crianças menores de cinco anos não pagavam. Naquele período, a mesma viagem, feita de ônibus, custa R$ 20,80 reais, e demora em média três horas e 40 minutos.

Diversão e gastronomia durante a viagem

Durante toda a viagem, a FEPASA colocava quatro palhaços distribuindo brindes para os adultos e doces para as crianças.

Além disso, um dos vagões da composição era um vagão-restaurante em que era servido refeições, lanches e bebidas, cobrados à parte.
Em suma, o trem tinha capacidade para 320 pessoas e estava sempre lotado. Uma breve comparação é que esse número era maior do que a capacidade de passageiros do Airbus A320, que carrega até 220 tripulantes. 

Por fim, as viagens foram encerradas assim que a FEPASA chegou ao fim em  maio de 1998, quando foi extinta e incorporada à Rede Ferroviária Federal.

Screenshot 5
Interior Do Vagão-Restaurante Da Fepasa.

Estação de Mairinque também era uma grande atração 

Vale destacar que nesta viagem, quem vinha de Sorocaba e demais cidades ficava encantado com a Estação de trem de Mairinque. Sobretudo a estação representa uma representação histórica de grande valor para a cidade e ao Estado de São Paulo. 

Enfim, A Estação de trem de Mairinque foi a primeira obra de concreto armado do Brasil, construída em 1897 e tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional.