Aeroporto Catarina em São Roque constrói nova pista e hangares

Inaugurado em dezembro de 2019, o Aeroporto Catarina (SBJH), do grupo JHSF, simplesmente conhecido como Aeroporto de São Roque, mudou muito em quatro anos.

Quando inaugurado, o aeroporto tinha apenas 1 pista. Agora o terminal aéreo para voos particulares, tem uma segunda pista. Além disso, o aeroporto tinha apenas dois hangares, agora passa a contar com 12.

Brevemente a JHSF informou a coluna “O Informante”, que uma pista auxiliar também está sendo construída, para facilitar os pousos e decolagens internacionais. Muitas pessoas não sabem, mas o popular Aeroporto de São Roque, é internacional e frequentemente opera voos para diferentes regiões do mundo. 

Em suma, cerca de 71 milionários usaram os hangares do Aeroporto catarina para guardar diferentes aeronaves, entre jatos, aviões de pequeno porte e helicópteros. 

“Ainda estamos passando da metade do tamanho que o aeroporto deve ter quando ficar mais maduro”, diz Thiago Alonso CEO da JHSF, empresa que administra o Catarina.

Pista do Aeroporto Catarina e serviços 

A pista tem 2,4km – 500m a mais que Congonhas e Campo de Marte, permitindo o pouso de jatos executivos de longo alcance, como o novo Falcon 10x, que tem autonomia para voar de São Paulo para qualquer ponto das Américas, África, Europa e Oriente Médio.

A capacidade de operação pode chegar a 200 mil voos por ano. Atualmente, recebe em torno de 800 por mês, sendo em torno de 15% internacionais. O local busca oferecer todos os serviços que um dono de avião precisa, como combustível, manutenção e hangares para estacionamento.

Além disso, o Aeroporto catarina também conta com um mega restaurante de luxo, da rede Fasano.

Aeroporto pensado para oferecer facilidade e comodidade

Em suma, o Aeroporto foi planejado para oferecer facilidade aos clientes. O aeroporto foi pensado para que os viajantes consigam entrar e sair facilmente, sem perder tempo em filas ou burocracias. Em vez de ter de ir ao aeroporto uma ou duas horas antes do voo, pode-se chegar minutos antes da decolagem.

“O usuário da aviação executiva quer muita agilidade para chegar no aeroporto e decolar, e para pousar, sair do avião e entrar no carro ou helicóptero e ir para casa”, diz Alonso.

Contudo, para quem vai viajar para fora do Brasil o terminal tem um  posto de controle de passaportes e de entrada e saída do país, e segue os procedimentos dos outros terminais internacionais do Brasil.

A facilidade do terminal é tão útil que em maio de 2022 o bilionário, o empresário Elon Musk pousou no Aeroporto Catarina, vindo com seu Jato do Texas, nos EUA, para uma visita com o então presidente Bolsonaro em Porto Feliz.

Concorrente de longa distância…

Apesar de ter sido o primeiro terminal privado dedicado à aviação executiva, o Aeroporto Catarina terá em 2024 um grande concorrente do setor. O Antares Polo Aeronáutico, localizado na região metropolitana de Goiânia, promete acabar com a exclusividade do Aeroporto Catarina.

O Antares terá 209 hectares de área e uma pista de 1,8 km, além de 654 mil m² de hangares. Por estar no centro geográfico do Brasil, numa região que concentra 20% das aeronaves do país, o empreendimento pretende ser um grande hub da aviação executiva nacional.