Vereadores de Sorocaba querem dar título sorocabano a Bolsonaro
PUBLICIDADE

Vereadores de Sorocaba querem dar título sorocabano a Bolsonaro

Redação

10 de maio de 2021
Atualização:10 maio 2021 às 11:38

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) e um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, poderão ser agraciados, cada um, com o Título de Cidadão Sorocabano. É o que estabelecem dois projetos de decreto legislativo que serão votados na sessão ordinária de terça-feira, 11 de maio a ser realizada a partir das 9 horas. Os dois projetos abrem a ordem do dia da sessão.

O primeiro a ser votado é o Projeto de Decreto Legislativo nº 08/2021, do vereador Vinícius Aith (PRTB), que concede o Título de Cidadão Sorocabano ao deputado federal Eduardo Nantes Bolsonaro. Filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, o homenageado nasceu na cidade de Resende, no Rio de Janeiro, em 1984. Em 2018, foi eleito deputado federal por São Paulo, com 1.814.443 votos, o mais votado da história do país.

Segundo Vinicius Aith (PRTB), Eduardo Bolsonaro, como deputado federal, é responsável por “substanciais contribuições para Sorocaba”, inclusive por meio de emendas parlamentares para áreas como saúde, segurança e educação, além de articular o investimento de R$ 80 milhões para construção da nova Estação de Tratamento de Água do Saae.

Homenagem ao presidente

Já a honraria ao presidente Jair Bolsonaro está sendo proposta através do Projeto de Decreto Legislativo nº 22/2018, de autoria do vereador Luis Santos (Republicanos), que será votado em seguida. O projeto foi apresentado em março de 2018, quando Jair Bolsonaro – que é paulista de Campinas, onde nasceu em 1955 – ainda era deputado federal pelo Rio de Janeiro.

Na época, o vereador Luis Santos justificou o título lembrando que Bolsonaro foi o deputado mais votado do Estado do Rio de Janeiro, sendo conhecido por “suas posições em defesa da família, da soberania nacional, do direito à propriedade e dos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa”.

O projeto de Luis Santos chegou a entrar na ordem do dia da sessão de 10 de abril de 2018, mas foi retirado de pauta a pedido do então vereador José Francisco Martinez e retorna agora para votação. Pelo fato de se tratar de projeto de decreto legislativo, esse projeto de Luis Santos, assim com o de Vinícius Aith, entra em votação única, sem discussão e precisa de maioria absoluta (isto é, 11 votos), para ser aprovado.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *