Mirage aponta estudo de aumento de tarifa em R$ 7,20 à prefeitura de São Roque e alega dificuldades financeiras


01/04/2019 l Atualizada em - 01/04/2019 às 19:58

Responsável pela saúde financeira da Mirage, empresa que gerencia o transporte coletivo urbano na cidade de São Roque (SP), a prefeitura da cidade estudar repassar o valor de R$ 1 milhão para empresa que em pouco tempo que assumiu o serviço no município, já enfrenta dificuldades financeiras.

O possível repasse foi proposto pelo prefeito Cláudio Góes (PMDB), na última semana e enviado ao presidente da Câmara de vereadores, Mauro Góes.

A proposta de ajuda financeira para empresa que já virou ação rotineira no serviço de transporte coletivo da cidade, diz que o repasse visa garantir a boa qualidade do serviços prestados como comodidade e rapidez. A Mirage assumiu o contrato da empresa Viação São Roque em junho de 2017,  empresa que antes também operava com muitas dificuldades operacionais e financeira em São Roque.

Em fevereiro o Correio do Interior noticiou que o Ministério Público Estadual condenou o contrato da empresa com a prefeitura da cidade, em possíveis irregularidades  que ainda estão sob analise, “o chamado contrato podre”,  podendo o contrato da empresa ser suspenso em qualquer momento.

Sobre os repasses a empresa alega que encontra dificuldades em operar em São Roque depois que assumiu o contrato da antiga empresa (Viação São Roque), entre as dificuldades estão os gastos com combustíveis, manutenção de frota e pagamento de antigos funcionários da VSR, no qual a empresa manteve alguns em seu quadro de colaboradores atuais e outros que realizou acordo trabalhistas e que ainda não foram pagos de acordo com a justiça e o Sindicato do Rodoviários de Sorocaba e região.

Parte do estudo técnico realizado pela empresa Bersi, em que o Correio do Interior teve acesso.

Ainda conforme apurações do Correio do Interior em tese a empresa apontou um estudo e calculo para prefeitura que o repasse seria fundamental para manter suas atividades por mais um período, sendo que dos passageiros que transporta diariamente, entre estudantes e demais usuários em modo gratuito, teria que aplicar uma tarifa no valor R$ 7,20 para manter o equilíbrio dos serviços, o que força a executivo a realizar os repasses.

O parlamentares do legislativo são-roquense deverão formar uma comissão especifica para discutir o assunto que de qualquer modo deverá trazer prejuízos financeiros à cidade.

3 comentários

  1. Caio

    04/04/2019 at 22:03

    Isso tudo não passa de conversa fiada!
    O Uber é uma escolha do usuário que muitas vezes acaba já pagando mais caro pelo serviço do que se utilizar do transporte coletivo à tarifa de R$4,20, chegando a pagar ainda R$13 ou mais pelo conforto do transporte particular.
    A tarifa da passagem para Sorocaba é quase R$8,00 (SOROCABA…), enquanto de São roque para Itapevi gira em torno de R$5,00. Todas as empresas conseguem mantém suas frotas e suas tarifas de maneira estável, mas a Mirage, fazendo transporte municipal, colocando, em muitos casos, apenas 1 carro por trajeto, oque faz com que passem nos bairros a cada 1 hora, a mesma Mirage que tirou a baldeação na própria rodoviária, fazendo com que muitos usuários pagassem mais de uma vez pela transferência antes gratuita, a mesma Mirage quer agora repassar o valor para o consumidor de maneira abusiva, com um aumento de mais de 70% na passagem.

  2. Sérgio

    03/04/2019 at 11:31

    Não sou uber!
    Porém como pode um transporte coletivo custar em muitos casos mais caros que um transporte individual que você pode levar até quatro pessoas com conforto e segurança.
    Por favor, antes e apontar quem é o culpado pense bem, pois a culpa dá má administração pública e da empresa que assumiu o transporte publico de Sao Roque não é da Uber, e sim dá má gestão e das políticas públicas que não atendem as necessidades de sua população e de possíveis interesses excusos que não são transparente para nós população São Roquense.

  3. Celio

    01/04/2019 at 21:06

    Agradeçam à UBER. O transporte mais afetado é o coletivo. Não precisa ser expert para saber isso.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *