×
☰menu
PUBLICIDADE

São Roque terá 100% de esgoto tratado até maio de 2019

Igor Juan

5 de novembro de 2018
Atualização:05 nov 2018 às 19:47

Na inauguração da ETE Guaçu, em agosto de 2017, as previsões indicavam total tratamento na cidade ainda em 2018
Nas últimas semanas moradores do bairro Paisagem Colonial, em São Roque, tem reclamado da falta de tratamento e coleta de esgoto, com base no anúncio feito no ano passado pela Sabesp, pela Prefeitura de São Roque e o então governador Geraldo Alckmin, que após a inauguração da ETE – Guaçu, a segunda etapa contemplaria o bairro ainda em 2018. Segundo divulgado pelo próprio Governo do Estado de São Paulo, até dezembro de 2017, o tratamento passaria a cobrir 95% dos esgotos coletados, e até o fim deste ano São Roque teria 100% dos esgotos tratados e coletados na sede e nos distritos de São João Novo e Mailasque.

“A promessa de 100% dos esgotos tratados em 2018 em São Roque não aconteceu. Uma vergonha para uma cidade turística”, declarou um dos moradores do bairro Paisagem Colonial. No córrego do bairro existia uma galeria de esgoto, que foi retirada. Fomos até o local e foi possível ver a sujeira. A população conta que o cheiro é muito forte, além do risco de doenças.
Procuramos a Sabesp e a Prefeitura em busca de esclarecimentos sobre o andamento das obras e a previsão de cumprimento desta promessa, e de acordo com as informações, as obras estão prosseguindo, e tem uma nova data de entrega. A empresa já investiu cerca de R$ 44,6 milhões no sistema de esgotamento sanitário em São Roque entre 2012 e 2017. Atualmente, o sistema garante a coleta de 94% dos esgotos na sede do município, dos quais 91% são tratados. Já considerando os bairros afastados e distritos, o índice de cobertura com rede pública de esgotos é de 84%, dos quais 89% são tratados.

Os investimentos possibilitarão o tratamento de 100% do esgoto do município até maio de 2019, trazendo mais qualidade de vida à população, além de contribuir para a despoluição e melhoria da qualidade da água dos ribeirões Guaçu e Mombaça, ambos afluentes diretos do rio Tietê, além os córregos Aracai, Carambei e Marmeleiro, que cortam a área central da cidade.

Em operação desde agosto de 2017, a ETE localizada no bairro Guaçu tem capacidade para processar 156 litros de esgotos por segundo, permitindo que 6 milhões de litros de esgotos in natura por dia sejam tratados antes de serem lançados nos rios e córregos da cidade. “No momento, estão em andamento as obras do sistema de esgotamento sanitário Carambeí que compreende a implantação de coletor-tronco, linha de recalque e travessia na rodovia Prefeito Quintino de Lima. Com investimento de cerca de R$ 995 mil, essas obras encontram-se com cerca de 50% da parte civil executada e em fase de aquisição dos equipamentos da unidade de bombeamento. O empreendimento vai atender diretamente 2.500 ligações e beneficiará cerca de 8.500 moradores dos bairros Goianã, Paisagem Colonial, Jardim Conceição, além de parte do Parque Aliança”, informou a Sabesp à nossa reportagem.

Além de atender a sede do município, o novo sistema vai contemplar também os distritos de São João Novo e Mailasque. A previsão é que até maio de 2019, serão tratados 100% dos esgotos coletados na sede e nos distritos, beneficiando 88 mil moradores. “O novo contrato de programa com a Sabesp foi um marco para a municipalidade e representou um grande avanço para o setor de saneamento, um exemplo de parceria entre a empresa prestadora de serviços, o município e a sociedade. Essa percepção positiva pode ser aferida pelo resultado alcançado em pesquisa realizada no mês de abril de 2018, onde a população são-roquense aprovou a qualidade de serviços prestados pela Sabesp no município com índices de satisfação geral alcançando 83%”, disse a Sabesp.

Abastecimento e qualidade da água

Com relação ao sistema de abastecimento de água, a Sabesp esclarece que nos últimos dez anos tem trabalhado no combate as perdas de água no sistema de distribuição de São Roque. Diversas ações estão possibilitando a rápida intervenção quando da identificação de problemas operacionais. Visando melhorar ainda mais o processo de combate às perdas no sistema de distribuição, estão previstos para os próximos dois anos investimentos em setorização de redes e remanejamentos de redes antigas. Para isto, serão utilizados recursos de financiamento no valor aproximado de R$ 18 milhões, obtidos junto a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), para contratação de serviços e compra de materiais. Os serviços já estão contratados e a previsão é que os trabalhos tenham início entre os meses de janeiro e fevereiro de 2019.

Sobre a qualidade da água distribuída à população são-roquense, a Sabesp garante a potabilidade dentro dos padrões de confiabilidade internacionais, estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Vale observar, também que a Companhia atende a Portaria de Consolidação nº 5/2017 do Ministério da Saúde, em relação aos padrões e parâmetros de potabilidade da água e quantidade de amostras e análises previstas. Todo tratamento da água segue, portanto, as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde, dentro do mais rigoroso controle, para que a população sinta-se segura ao beber a água que chega em suas residências.

Igor Juan

Jornalista editor-chefe do Correio do Interior. Formando pela faculdade ESACM Sorocaba. Atuou na RedeTV!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *