Serviço meteorológico alerta para formação de tornado destrutivo no Brasil
PUBLICIDADE

Serviço meteorológico alerta para formação de tornado destrutivo no Brasil

Igor Juan

13 de setembro de 2021
Atualização:13 set 2021 às 13:09

O serviço meteorológico MetSul, emitiu um alerta em seus canais de comunicação online, sobre a aproximação de uma tempestade no Brasil e que pode gerar um tornado destrutivo, causando estragos e prejuízos.

Com o tempo seco em diversas regiões do Brasil, a tempestade com ventos de alta escala se aproxima do Brasil pela Argentina e Uruguai, entrando em terras brasileiras pelo Rio Grande do Sul.

Ainda em comunicado a Metsul diz que com a tempestade pode haver nuvens com 15 a 20 quilômetros de altura que são capazes de gerar granizo e de tamanho médio a grande.

O temporal pode ocorrer ao longo da semana, sem data ou horário exato. Os dados via satélite estão sendo monitorados pela empresa.

Além do granizo e do vento com formação do possível tornado, pode ocorrer chuva volumosa. Os maiores volumes de chuva pode chegar de 50 mm a 100 mm.

O que é um tornado ?

Um tornado é um fenômeno meteorológico que se manifesta como uma coluna de ar que gira de forma violenta e potencialmente perigosa. Podendo chegar a uma velocidade entre 65 e 180 km/h ou mais, percorrendo mais de 100 km de distância.

A formação do tornado

O tornado é um fenômeno que se forma a partir de uma nuvem de tempestade, o chamado Cumulonimbus ou, de forma abreviada, como é mais conhecido, o Cb. Aparece primeiramente a partir da base da nuvem expandindo-se até o chão. O movimento em rotação se origina do encontro de fortes correntes de ar em direções opostas que ocorrem dentro do Cb.

Quanto mais intensas as correntes de ar ascendentes e descendentes dentro de um Cb, maior a probabilidade de formar-se um rodamoinho que evolui para o tornado e que aparece como uma protuberância na base do Cb. Nos casos mais intensos, o tornado tem condições de se desgarrar do Cb e seguir uma trajetória própria que pode se estender por algumas dezenas de quilômetros.

Nesse percurso, a ventania vai levantando objetos, arrancando árvores e telhados, destruindo a vegetação. As forças que atuam no tornado são a força centrífuga e a força devida a diferenças de pressão do ar. O centro do tornado tem pressão baixa, o que atrai o ar, enquanto a rotação define a força centrífuga que afasta o ar para fora da rotação. Com o equilíbrio dessas duas forças o movimento de rotação continuaria indefinidamente.

O atrito com o chão e com os inúmeros obstáculos no caminho promove uma desaceleração do tornado até sua dissipação. Quando ocorrem sobre o mar ou sobre grandes corpos d’água, os tornados podem ser vistos como uma coluna de água que se estende desde a base da nuvem até a superfície da água e, por isso, recebem o nome de tromba d’água, em geral classificados como F0 ou, no máximo, F1.

Tornados no Brasil

No Brasil, os tornados ocorrem principalmente na Região Sul, mas há registros também nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste. O norte da Argentina e o Paraguai são regiões preferenciais de ocorrência na América do Sul. Mesmo nas regiões tropicais e equatoriais podem ser observados tornados. O estado do Pará, por exemplo, registra várias ocorrências documentadas. Na Floresta Amazônica são mais freqüentes as microexplosões do que os tornados.

As rajadas de ventos fortes deixam marcas de desmatamento da floresta facilmente identificáveis nas imagens de satélite na forma de faixas com 100-300 m de largura por 5-20 km de comprimento. Pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, em viagens de exploração científica pela floresta, identificaram a característica típica de danos associados a microexplosões em vários casos.

Em regiões com agricultura extensiva, em áreas relativamente planas, como a região de plantação de soja no Brasil Central ou os grandes canaviais do Sudeste, os tornados deixam frequentemente marcas circulares, com diâmetros da ordem de 100 metros, em intervalos desigualmente espaçados.

***Os dados meteorológico são de origem da MetSul, não sendo de responsabilidade do Jornal

Igor Juan

Jornalista de assuntos gerais, com especialização em assuntos de negócios e Política. Formando pela faculdade ESACM, com passagens pela RedeTV!, Jornal O Democrata, SP Agora e Band.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *