×
PUBLICIDADE

Represa de Itupararanga volta a encher após chuva em Sorocaba

Gabriel Kazuo

11 de janeiro de 2022
Atualização:11 jan 2022 às 18:01

Desde o dia 28 de dezembro, Sorocaba teve vários dias com chuvas frequentes e volumosas. Isso fez com que o nível da represa de Itupararanga aumentasse seu nível, mas a situação ainda preocupa.

Contudo, a situação das represas menores é contrária, pois as chuvas dos ajudaram a encher o volume delas em 100%. Já a Represa de Itupararanga está com 25% da capacidade, ainda em um patamar crítico, que obriga a Prefeitura a decretar racionamento.

Esse decreto valerá a partir desta quarta-feira (12), em entrevista coletiva do Prefeito Rodrigo Manga (Republicanos).

No entanto, ainda não se sabe ao certo como isso funcionará, mas irá atingir todos os bairros.

Já nas cidades vizinhas, como Itu  e Araçoiaba da Serra, o racionamento segue desde o ano passado, mas a situação já melhorou um pouco.

Isso porque as chuvas dessas 2 semanas foram suficientes para encher os ribeirões que abastecem esses municípios.

Como poderá ser o racionamento de água em Sorocaba?

Se Sorocaba seguir o exemplo das demais cidades, os moradores podem enfrentar dias sem água, e outros com abastecimento garantido.

Vale ressaltar que, há um tempo atrás, o município chegou a fazer um ”racionamento intercalado”, com alguns bairros sem água em um dia.

Contudo, a população pode colaborar, adotando já as seguintes medidas:

  • Tomar banhos curtos;
  • Evitar usar mangueiras;
  • Consertar vazamentos nos canos;
  • Usar menos a máquina de lavar;
  • Aproveitar a água da chuva e piscinas para fazer as tarefas diárias.

Estiagem severa desde abril de 2021

Sorocaba vive um período de estiagem severa desde abril de 2021, bem como demais cidades paulistas e brasileiras.

Por causa do fenômeno La Niña, choveu menos do que o esperado na cidade, ocasionando assim os problemas que a cidade enfrenta.

Por fim, essa seca acabou baixando muito o nível de Itupararanga.

Dessa forma, é necessário que chova muito até o final do ano, coisa que talvez não ocorra.

Gabriel Kazuo

Formando em jornalismo pela faculdade ESAMC, é jornalista de editoria geral no Correio do Interior. gabriel.kazuo@correiodointerior.com.br

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *