Represa de Itupararanga corre risco de entrar em colapso, segundo especialistas


14/11/2019 l Atualizada em - 14/11/2019 às 9:43

A represa de Itupararanga corre sérios riscos de entrar em colapso, segundo ambientalistas. Estudos alertam que o excesso de poluentes nas águas da represa, como esgoto, agrotóxico, loteamentos clandestinos, desmatamentos, entre outras agressões ambientais estão dificultando o trabalho de tratamento da água, de forma eficaz. O alerta foi feito por Wendell Rodrigues Wanderley, no 1o Fórum Regional de Mudanças Climáticas, na Universidade de Sorocaba, na tarde de ontem (13).

O excesso de dejetos em Itupararanga, ainda segundo o alerta, pode inviabilizar completamente o seu uso como fonte de água, para toda Região Metropolitana de Sorocaba, o que só provocaria uma séria crise hídrica. Até a Secretaria de Infraestrutura e Meio-Ambiente de São Paulo se mostra preocupada com a situação da represa.

O caso de Itupararanga se assemelha muito ao caso da Represa Billings, em São Paulo, que também apresenta altos níveis de poluição e está incapacitada de abastecer a população com água, mas serve como fonte de geração de energia elétrica, e de lazer para a população da cidade.

Outra preocupação de Wendell Rodrígues é que a área onde se encontra a represa é um importante reduto de preservação da Mata Atlântica, a Serra de São Francisco. Para piorar a situação, estudos da UFSCAR já detectaram a presença de cianobactérias tóxicas, semelhantes às encontradas na Billings, na represa sorocabana.

O que diz a Prefeitura de Sorocaba

O secretário de Meio Ambiente de Sorocaba, Maurício Mota, informou que a partir do Fórum de ontem uma carta de compromissos da Região Metropolitana para com o meio ambiente será postada no site da pasta até o dia 30 de novembro para receber propostas de ações. A expectativa é haver a cooperação dos segmentos da sociedade envolvidos nas discussões.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *