Preço da gasolina irá ficar ainda mais cara e Bolsonaro diz que não vai baixar
PUBLICIDADE

Preço da gasolina irá ficar ainda mais cara e Bolsonaro diz que não vai baixar

Gabriel Kazuo

26 de outubro de 2021
Atualização:26 out 2021 às 10:38

Em meio à quase certa greve geral dos caminhoneiros, no dia 01 de novembro, e mesmo com os protestos ocorridos na quinta-feira (21) e sexta-feira (22), o Presidente Jair Bolsonaro está resoluto em não ceder ”nenhum milímetro” em relação ao atual preço da gasolina, que irá subir novamente nesta segunda (25).

Segundo o Ministro Paulo Guedes, o Governo entende a situação de quem depende da gasolina parta trabalhar, mas ressaltou que o Ministério da Economia está fazendo ”o possível” para adotar medidas que barateiem o custo da gasolina e do diesel, mas que não irão impedir o aumento nos preços.

Tanto Bolsonaro quanto Paulo Guedes explicaram que a única responsável pela situação é a Petrobrás, e que ela deveria dar uma solução para o problema, visto que regular o repasse do preço do barril do petróleo para o consumidor é da autarquia e que o Poder Público não pode intervir nesse tipo de assunto.

Só em 2021, o reajuste da gasolina foi de quase 62% nas refinariase a tendência é que isso seja feito mais vezes até dezembro, dependendo da demanda mundial por petróleo e o valor do dólar.

Representante dos caminhoneiros na Câmara dos Deputados critica ”inércia” de Bolsonaro

Nereu Crispim, deputado do PSL do Rio Grande do Sul, apoiador de Bolsonaro e representante dos caminhoneiros na Câmara dos Deputados, criticou a postura de Bolsonaro após dar esta declaração, inclusive é um dos poucos que vem se ”irritando” com o comportamento do presidente recentemente.

Segundo ele, Bolsonaro e Paulo Guedes se preocupam mais em ”agradar banqueiros e investidores”, em relação à população em geral, e defende que ambos criem uma medida que resolva o problema em definitivo. Inclusive, ele já afirmou que a classe não irá aceitar o Auxílio de R$ 400,00 proposto pelo Governo.

Greve Geral é iminente e ”só Bolsonaro pode resolvê-la”

Inclusive, Nereu também revelou que os caminhoneiros ”já estão fartos” de conversar sobre o assunto com os atuais ministros do Presidente, e que só aceitariam ”baixar o tom” se Bolsonaro conversar com eles e propor uma medida que acabe com a alta da gasolina.

Por conta disso, o deputado gaúcho também confirmou a intenção da categoria realizar uma Greve Geral, no dia 01 de novembro, e que ela pode inclusive durar por tempo indeterminado, podendo ser até pior em relação aos protestos de 2018, pois toda a classe caminhoneira está convicta a aderir à Greve.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8M5n5lk2