Patologista clínico Luiz Teixeira Junior alerta sobre depilação com chegada do verão 2019


18/11/2019 l Atualizada em - 18/11/2019 às 14:24

Uma das estações do ano mais esperada pelos brasileiros é o verão. Isso porque a estação de altas temperaturas acaba coincidindo com o período de férias de muitas pessoas, e assim muitos acabam criando a programação de férias na praia. 

Só que no meio dessa situação estar com a depilação em dia é quase regra para quem quer desfilar pelas praias e piscinas sem se sentir desconfortável. Por isso, é essencial escolher o método certo de depilação. A maioria das pessoas opta pela depilação com cera ou lâmina, que pode ser agressiva e resultar na temida foliculite, aquelas bolinhas vermelhas que surgem normalmente após a depilação, parecidas com acne e que podem até inflamar. 

O médico patologista, Luiz Teixeira Junior, orienta que as pessoas devem buscar métodos menos agressivos à pele, sendo a depilação à laser uma delas. Método que é um dos mais procurado em clinicas e que atualmente é o mais eficiente para eliminação de pelos. 

A depilação de método tradicional, com uso de cera, pode gerar pelos encravados em algumas pessoas, dependendo do modo em que a aplicação é feita. Duas recomendações básicas a serem observadas na depilação com cera é: realizar a remoção dos fios em seu sentido de crescimento, e não esquecer de aplicar um hidratante após a depilação, para não causar coceira e desconforto. 

Quando a depilação é feita com cera e acaba gerando manchas vermelhas e “bolinhas” com pelos encravados, o recomendado é não remover as incomodas bolinhas com pinças ou com a unha, isso porque a pequena  inflamação pode virar uma inflamação maior, e em casos mais graves atrair uma bactéria e virar uma doença de maior gravidade, ressalta Luiz. 

Como médico Patologista, Luiz Teixeira Junior, tem como função identificar doenças e sintomas, orientando os pacientes sobre o tratamento mais apropriado, além da realização e solicitação de exames complementares, antes do encaminhamento a um especialista. Assim ele destaca que antes de um procedimento de depilação, melhor do que buscar os pós e contra de cada método, é buscar uma avaliação de um dermatologista, que assim poderá dizer qual método o paciente pode ou não fazer. 

“A maioria das pessoas acabam fazendo tudo a margem de risco, sem orientação medica e quando desenvolvem algum problema, uma patologia (doença), acabam tendo que gastar valores alto em tratamentos e remédios para reverter a situação” Comenta o médico Luiz Teixeira Junior que mantem uma clínica na Avenida Paulista em São Paulo.  

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *