Pagamento do abono PIS/Pasep não vai ser liberado em 2022
PUBLICIDADE

Pagamento do abono PIS/Pasep não vai ser liberado em 2022

Igor Juan

21 de junho de 2021
Atualização:21 jun 2021 às 19:06

O abono salarial do PIS/Pasep que seria liberado agora em julho de 2021 aos trabalhadores foi adiado para 2022. Por recomendação da Controladoria-Geral da União (CGU) o governo federal decidiu que os trabalhadores que atuaram de carteira assinada em 2020 só terão acesso ao dinheiro no ano que vem.

Decisão de não pagar PIS/Pasep em 2022

Após recomendação da CGU o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) tomou a decisão de adiar o abono salarial em um acordo que contava com representantes dos trabalhadores, do governo e das empresas. A atual presidência do Codefat é da bancada dos trabalhadores, e a decisão se deu por consenso, envolvendo empregados, empregadores e governo.

Com a decisão, mais de 10 milhões de trabalhadores serão afetados com o adiamento do abono salarial que se iniciaria em julho deste ano. De acordo com estimativas, o governo deixará então de repassar cerca de R$ 7,6 bilhões aos trabalhadores em 2021.

Com o adiamento, a expectativa é de que o abono salarial seja disponibilizado a partir de fevereiro de 2022, ou seja, serão necessários pelo menos mais seis meses para que o trabalhador possa receber o PIS/Pasep.

Quem tem direito ao abono salarial?

O abono salarial é destinado ao trabalhador que recebe em média até dois salários mínimos por mês, estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter trabalhador por pelo menos 30 dias no ano-base.

Outro ponto importante para receber o abono, é que os dados do trabalhador precisam estar informados corretamente na Relação Anual de Informações Sociais, mais conhecida como RAIS.

O abono salarial que o trabalhador recebe varia conforme a quantidade de meses trabalhados no ano-base, atingindo o máximo de um salário mínimo (R$ 1.100 em 2021) para os trabalhadores que atuaram durante os 12 meses do ano. Caso o mesmo tenha trabalhado por menos meses, o valor pago será proporcional.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *