OMS irá usar letras gregas para nomear variantes do coronavírus
PUBLICIDADE

OMS irá usar letras gregas para nomear variantes do coronavírus

Igor Juan

1 de junho de 2021
Atualização:01 jun 2021 às 13:11

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou, no dia 31 de maio, que passará a adotar letras do alfabeto grego para nomear as variantes mais preocupantes do novo coronavírus. A mudança ocorreu após a recomendação de especialistas, que visam evitar estigmas entre países e facilitar discussões médicas.

Com isso, nomes como “cepa brasileira” ou “cepa indiana” não deverão mais ser utilizados em meios científicos. A epidemiologista e líder técnica da OMS para a Covid-19, Maria Van Kerkhove, usou suas redes sociais para repercutir a decisão do órgão: “Nenhum país deve ser estigmatizado por detectar e relatar variantes”, afirmou.

Confira a nova nomenclatura das quatro variantes que atualmente são consideradas mais perigosas e transmissíveis:

A variante B.1.1 que teve origem no Reino Unido vai se chamar – Alpha.

A variante da África do Sul anteriormente  denominada como B.1.3, passa a se chamar  Beta.  A P1 que teve origem no Brasil passa a se chamar Gamma, e a B.1.6 da Índia, será a Deelta.

 

Igor Juan

Jornalista de assuntos gerais, com especialização em assuntos de negócios e Política. Formando pela faculdade ESACM, com passagens pela RedeTV!, Jornal O Democrata, SP Agora e Band.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *