O presidente do Brasil que nasceu em Mairinque
PUBLICIDADE

O presidente do Brasil que nasceu em Mairinque

Tarcísio Lourençon

15 de junho de 2020
Atualização:15 jun 2020 às 13:56

Não há dúvidas de que os empreendimentos da JHSF na cidade de São Roque têm prometido um amplo desenvolvimento para a região, contemplando as cidades de São Roque, Mairinque, Araçariguama, Itu e adjacências. O primeiro empreendimento foi o Catarina Fashion Outlet, que já tem sido um sucessoaté que recentemente, foi inaugurado o aeroporto executivo, São Paulo Catarina. Mas você já parou pra pensar por que o nome “Catarina”?  

O Correio do Interior, através desta coluna semanal (Crônica do dia) tem a missão de comentar as coisas do cotidiano, visto pelo prisma histórico das circunstâncias, trazendo curiosidades, analisando os fatos, contando as ocorrências do passado e acontecimentos que remontam à biografia de pessoas e cidades de nosso país. Assim como já dito em outra matéria, sua rua tem um nome, mas você sabe a história por trás do nome de sua rua? Igualmente, temos viadutos, prédios, escolas, pontes, parques, praças e tantos outros logradouros que integram em destaque o nome de personalidades locais e até mesmo mundiais, mas que muitas vezes passam totalmente despercebidas pelos frequentadores.  

Pouco antes da decretação de quarentena, estive no Catarina Fashion Outlet, onde fiz uma rápida pesquisa com funcionários de lojas, clientes e demais visitantes do shopping, perguntando: Você sabe por que o nome deste empreendimento é Catarina? Num chute lógico, as pessoas respondiam ser por conta da proximidade com o bairro Dona Catarina, de Mairinque. Logo seguida perguntava: Mas quem era Dona Catarina? Apenas duas pessoas, em mais de cinqüenta questionadas, conseguiram responder, ainda que com muita dificuldade.  

Catarina Maria Morais de Barros foi casada com Marcelino de Barros, e desta união nasceu Prudente José de Morais Barros, em 04 de outubro de 1841, numa fazenda localizada em Mairinque, na Estrada Municipal de Olhos D’Aguana região hoje conhecida por Dona Catarina, mas foi registrado como cidadão ituano. Embora o Município de Mairinque não existisse naquela época, e a região era vista como parte integrante de Itu, podemos sim dizer que Prudente de Morais é também Mairinquense. 

Em 1843, ainda criança, Prudente perdeu seu pai, que era tropeiro e fazia a rota de Santos a Itu, assassinado por um escravo que ele havia açoitado tempos antes. Sua mãe então, casou-se com o também viúvo Caetano José Gomes Carneiro e logo após mudaram-se para a cidade de Vila Nova da Constituição, hoje, Município de Piracicaba.  

Num extrato de seu perfil biográfico, Prudente formou-se advogado, foi vereador e prefeito de Piracicaba, deputado provincial, deputado geral, governador de São Paulo, senador federal por São Paulo, presidente da Assembléia Nacional Constituinte de 1891. Teve grande influência na causa abolicionista, propondo projetos que desencorajavam e tornavam desinteressante a propriedade de escravos. Em sua trajetória política empenhou-se na defesa das idéias republicanas durante a monarquia e em sua implantação após 15 de novembro de 1889 (Proclamação da República). 

Curiosidade: Na mesma Assembléia Nacional Constituinte de 1891era signatário daquela  Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil, o Deputado  Francisco de Paula Mayrink, que deu nome à Vila Mayrink, hoje Município de Mairinque, onde nasceu Prudente de Morais. 

Em 1° de março de 1894, foi eleito como primeiro presidente civil da República, pelo Partido Republicano Paulista, com 186.583 votos, para exercer o mandato no período de 15 de novembro de 1894 a 15 de novembro de 1898. Ao fim do mandato, desfrutava de grande aceitação e popularidade, passou o cargo a seu sucessor, Campos Sales, e retornou para Piracicaba, onde voltou a exercer a advocacia.  

Faleceu devido a uma tuberculose em dezembro de 1902, sepultado no “Cemitério da Saudade”, em Piracicaba. Prudente é homenageado dando o nome a três cidades brasileiras, Presidente Prudente – São Paulo, Prudente de Morais – Minas Gerais e Prudentópolis – Paraná. 

Em Mairinque, um pouco de sua história é preservada, mais precisamente a história de sua mãe, que homenageada, teve seu nome oficializado no bairro DONA CATARINA. A casa onde morou Catarina e nasceu o presidente Prudente de Morais, é preservada e é muito utilizada para eventos, sendo um dos locais preferidos por noivos na realização de cerimônias de casamento. 

Outra curiosidade: Durante seu mandato de presidente da república, em 1897 foram inauguradas as estações ferroviárias de Dona Catarina, Moreiras e Pirapitingui. Das três, a de Dona Catarina foi a primeira a ter o prédio definitivo construído, enquanto as demais eram armações provisórias. Infelizmente, suas características originais foram alteradas com o passar do tempo, e nela foi instalada uma creche. Em 2013 houve uma intervenção mais severatendo suas portas, janelas e telhas substituídas, restando apenas o “formato externo original”. Não houve por parte da administração municipal a preocupação com a relevância histórica do imóvel.  

 

Não posso afirmar se a JHSF teve como principal objetivo homenagear Catarina Maria Morais de Barros ou, se referenciar pelas proximidades ao bairro Dona Catarina, ou até mesmo, denominar seus empreendimentos em honra a qualquer outra personalidade, mas o sentimento acaba sendo de agradecimento, pois além de colaborar no desenvolvimento econômico de toda essa região, proporciona o aprofundar na história brasileira. Se o objetivo for exatamente esse, deixo aos diretores da JHSF uma humilde dica: que façam pública esta homenagem, que deixem um espaço em sua área comercial, reservada para estes relevantes fatos, que certamente despertarão a curiosidade dos clientes, proporcionará sensibilidade para com a marca e, sobretudo, garantirá a sobrevivência da história local e nacional

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

4 Comments

  1. Luiz Santos

    22 de junho de 2020 às 13:01

    No Wikipedia aparece como Mairinque:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Prudente_de_Morais

  2. Yara Marina Magrinelli De Toledo

    17 de junho de 2020 às 19:57

    Viva!
    Prudente de Moraes, Historia eterna!

  3. Alex

    17 de junho de 2020 às 09:52

    Excelente matéria

  4. João Carlos Pestana

    16 de junho de 2020 às 18:36

    Parabéns pela bela matéria, todavia, Mairinque ainda não existia na época, não havia uma cidade, uma vila sequer, eram terras de Itu, como outras tantas no entorno.
    Itu Já era uma cidade consistente na época,rica, próspera,economicamente ativa, politicamente atuante e culturalmente importante no cenário da época.
    Certamente que seria um orgulho para a cidade de Mairinque, como para mim também, cidadão mairinquense de origem e Ituano por condecoração. Todavia, a história é clara, não só pelo registro de nascimento.
    O nosso Prudente de Moraes era Ituano, por residir em terras ituanas, aonde frequentava com constância e aonde teve a honra de ser um dos convencionais, que anos mais tarde o consagraria como o primeiro Presidente civil do Brasil.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *