Ministério da Educação debaterá ”homeschooling” em julho
PUBLICIDADE

Ministério da Educação debaterá ”homeschooling” em julho

Gabriel Kazuo

5 de abril de 2021
Atualização:05 abr 2021 às 15:46

O Ministério da Educação irá discutir em julho a adoção do homeschooling no Brasil, prática em que os pais dão aulas para os filhos, no lugar dos professores. O assunto é polêmico e causa divergência entre educadores e pedagogos.

O Projeto de Lei que regulamenta o homeschooling deverá ser votado pela Câmara de Deputados, na metade do ano, e discutido com o atual ministro da Educação, Milton Ribeiro. A medida é um dos principais projetos para a Educação do Presidente Jair Bolsonaro.

Essa polêmica não surgiu agora, e vem desde o período em que o Brasil se tornou República. Vários especialistas não chegaram a um consenso se a Educação Domiciliar é positiva ou não.

Como será o homeschooling no Brasil?

O Projeto de Lei que regulamenta o homeschooling está sob relatoria da deputada do Paraná, Luiza Canziani (PTB). Segundo ela, a medida não visa que os pais usurpem o lugar das escolas, mas sim regulamentar a prática, que em alguns casos é necessária.

Para isso, os pais que darão aulas para os filhos precisarão:

  • Ter Ensino Superior Completo;
  • Matricular os filhos em uma escola que irá supervisionar a qualidade do ensino dos pais;
  • Seguir o currículo da Base Nacional Comum Curricular;
  • As crianças devem ter algum grau de socialização ( que é o principal ponto contra a medida, pois a criança não irá interagir com outros colegas);
  • Fazer provas que atestem que o Ensino está dando certo.

Projeto tem viés ideológico

Os maiores defensores do homeschooling são pessoas religiosamente e politicamente conservadoras e extremistas, que não acreditam na Ciência ou no que é ensinado nas escolas. Mas, também defendem a prática pessoas de classe baixa, que não tem condições de pagar uma escola para os filhos.

Discutir o homeschooling é ”desnecessário”, pois tira o poder educador das Escolas

A prática do homeschooling é completamente intempestiva, pois há mais pautas sobre Educação que deveriam ter mais prioridade, e uma medida que visa tirar tirar o poder da Escola na Educação, segundo vários especialistas.

Para eles, as escolas tem um papel fundamental para:

  • Ser um canal aberto de denúncias de abuso sexual e maus tratos;
  • Fazer com que as crianças saibam conviver com outras pessoas e fazer amigos;
  • Aprender a se desenvolver intelectualmente e pessoalmente;
  • Preparar a criança para o mercado de trabalho.

Como o homeschooling seria feito?

Ainda não se sabe como o homeschooling seria feito, pois o assunto será debatido ainda pelo Congresso e pelo MEC. O principal ponto que gera mais discussões é sobre a formação acadêmica dos pais. A grade horária seria mais flexível e abrangente.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *