Marido pede que esposa mate filho que nasceu deformado
PUBLICIDADE

Marido pede que esposa mate filho que nasceu deformado

Redação

28 de agosto de 2021
Atualização:28 ago 2021 às 20:08

Uma mulher foi abandonada pela sua família e seu marido depois de se negar a matar seu filho do casal que nasceu com uma má formação física, tendo uma aparecia anormal. O caso ocorre em Ruanda, na África Ocidental.

A mãe do bebê, Bajeneza Liberata luta para cuidar do filho sozinha. Além de ter sido abandonada pela família, ela também foi excluída pelos vizinhos e conhecidos devido aparecia de seu filho.

De acordo com o Daily Star – jornal britânico, a mulher contou que antes do bebê em questão, ela já havia tido outros filhos e nenhum deles apresentou nenhum tipo de problema. Por isso, foi uma grande surpresa quando ela, após o parto, percebeu que ele sofria de alguma doença.

Ainda conforme o relato de Bajeneza, quando o marido e pai do menino viu o filho, ele declarou que ela poderia matá-lo, pois ele “havia sido gerado pelo diabo”. Na sequência, o homem abandonou os dois no hospital afirmando que não tinha nenhuma responsabilidade sobre eles.

Apenas alguns dias depois, ela e o filho foram levados de volta para aldeia onde vivem, por uma pessoa que soube da situação e se compadeceu. No entanto, os aldeões passaram a atormentar Bajeneza, zombando do bebê e chamando-o de monstro ou alien.

Isolada e sem condições de trabalhar, Bajeneza precisou mudar para outra aldeia e deixar os filhos sozinhos enquanto tenta obter ajuda para tratar a doença do caçula. Ela não sabe qual a condição de seu filho e nem o que pode ter originado a má formação.

Depois que a história do pequeno e sua mãe foi divulgada em jornais locais, uma página com o objetivo de levantar fundos para levar a criança a fazer um tratamento no exterior foi criada no GoFundMe.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *