Mãe diz que Lázaro está matando porque está “dominado por demônios”

Redação

24 de junho de 2021
Atualização:24 jun 2021 às 17:01

Mãe de Lázaro Barbosa32, cujo suspeito segue foragido há 10 dias após orquestrar uma série de episódios violentos no Distrito Federal e em Goiás, Eva Maria de Sousa acredita que o filho esteja praticando os crimes por influência de um “demônio”.

“Eu acho assim, que é um demônio, um demônio que perturba ele”, declarou a mulher, durante entrevista à TV Bahia no dia 17 de junho.

Para ela, a conduta de Lázaro não é “coisa que veio da mente dele” e que “depois da perturbação, é a hora do arrependimento”.

Sem contato com o filho há dois anos, disse, Eva revelou o desejo de que o suspeito seja capturado em breve.

“O que eu mais quero é que ele seja preso, para ele esclarecer todas as verdades”, clamou.

Prisão

Já em entrevista à Record, a mulher enviou uma mensagem a Lázaro pedindo que ele se entregue às forças de segurança.

“O que eu te peço, se você estiver me ouvindo ou vendo, você se entrega e esclarece toda a verdade, está saindo muito mentira. Mais mentira do que verdade. É a tua mãe que está falando”, afirmou.

Eva finalizou o depoimento a emissora lamentando que desde a mudança para Barra dos Mendes, na Bahia, sofre ameaças. “Todo mundo gosta de você, se entregue, pelo amor de Deus”, reforçou.

Força Policial para encontrar Lázaro Barbosa

As buscas por Lázaro Barbosa de Sousa, 32, suspeito de assassinar brutalmente uma família em Ceilândia, no DF, envolve uma força-tarefa com mais de 200 policiais e até o uso da Força Nacional.

Conhecido como “serial killer do DF” ou “serial killer de Goiás”, ele possui uma extensa ficha criminal, e é descrito pelas autoridades como um psicopata. Ele também é investigado pela morte do caseiro de uma fazenda localizada no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás. O crime foi cometido quatro dias antes da chacina em Ceilândia.

Helicópteros e cães farejadores também são usados na operação, e barreiras foram montadas nas rodovias que cortam a região. As polícias Federal e Rodoviária Federal auxiliam no trabalho.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *