Lázaro vai se entregar à polícia por estar perdendo “força”
PUBLICIDADE

Lázaro vai se entregar à polícia por estar perdendo “força”

Igor Juan

27 de junho de 2021
Atualização:27 jun 2021 às 18:22

Um religioso do Estado do Maranhão se dirigiu até a cidade de Cocalzinho em Goiás e disse para autoridades que o serial killer em fuga, Lázaro Barbosa de Sousa deve se entregar a qualquer momento.

O criminoso que está cometendo uma série de crimes desde 9 de junho e que matou quatro pessoas de uma família em Ceilândia – DF, está perdendo força espiritual e o “tempo dele está acabando”, ao que diz o homem que preferiu não se identificar aos jornalistas que acompanham o caso.

O homem, que pediu para não ser identificado por temer represálias da polícia e da população, disse que fará uma oração para que Lázaro se entregue e que seja mantido vivo para contar tudo o que sabe para as autoridades. Ele afirma que nunca esteve em contato físico com Lázaro, mas que espiritualmente consegue se comunicar com os espíritos que tomam conta do corpo do fugitivo. “Eu já estou na região e hoje farei uma oração pra que ele se entregue. As autoridades têm que capturar ele (sic) vivo, pra ser melhor esclarecido”, disse.

Segundo o religioso, a prisão do fazendeiro e do caseiro, suspeitos de ajudar Lázaro, foi possível porque os “espíritos perdem forças nessa fase da lua”, período em que Lázaro deverá se entregar.

Advogado põe crédito em celular de Lázaro para se comunicar

O advogado que representa a família de Lázaro Barbosa Sousa de 32 anos, foragido há 16 dias da polícia, Wesley Lacerda, avalia as condições para o caso criminosos acusado de assassinar uma família em Ceilândia no Distrito Federal se entregar.

Wesley Lacerda  espera que Lázaro pare de fugir, para então acionar as autoridades e negociar os termos da entrega.

O advogado afirmou ainda que colocou créditos em dois celulares que supostamente estão com Lázaro. “Espero que ele esteja acompanhando (as notícias). Pode ser que ele ouça a súplica da família e entre em contato e faça essa entrega”, destacou.

Wesley Lacerda disse que foi acionado pela mãe de Lázaro, Eva Maria Sousa, 51, para tomar conta do caso. Os dois se conheceram na fazenda de onde o advogado é proprietário, em Cocalzinho de Goiás. “Ela (Eva) trabalhava para mim na roça e, duas semanas depois do ocorrido em Ceilândia, se mudou. Lázaro também chegou a prestar um serviço temporário para mim há uns três anos, em que mexia com a limpeza de pasto”, detalhou.

Segundo relatou o advogado, o último contato que Lázaro fez com a família foi dois dias depois do assassinato da família Vidal, no Incra 9 de Ceilândia Norte, que vitimou quatro pessoas da mesma família, incluindo os empresários Cleonice Marques, 43, Cláudio Vidal, 48, e os filhos do casal, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15.

Por ligação, o suspeito afirmou que não teria “agido sozinho” (no crime). “O paradeiro dele é totalmente incerto. A família não sabe onde ele está. Se soubesse, as negociações para a rendição teriam avançado. Não temos nenhum contato”, frisou Wesley.

Negociações

O advogado ressalta as condições que levará às autoridades, caso Lázaro se entregue à polícia. “Se ele aparecer, vamos ajustar os termos da entrega para onde ele vai (presídio), de modo a garantir a integridade física dele. Como esses crimes são de grande repercussão, ele não pode ficar com a massa carcerária, pois há um risco. Trabalharemos também para que ele tenha o direito ao julgamento com todos os meios de defesa inerentes, se for culpado”, pontuou.

 

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *