Jornalista diz que Bolsonaro foi envenenado

Redação

16 de julho de 2021
Atualização:17 jul 2021 às 13:08

O jornalista Rodrigo Constantino divulgou uma informação na manhã desta quarta-feira (14) e afirmou desconfiar que o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) possa ter sido envenenado por “defensores de Cuba”.

O jornalista afirmou que, se fosse o presidente faria um “exame toxicológico” para descartar envenenamento.

“De defensores de Cuba tudo é possível. Bolsonaro deve redobrar os cuidados”, completou.

Bolsonarista radical, Constantino afirmou que mulheres provocam seus próprios estupros ao comentar o caso de Mariana Ferrer. Na ocasião, disse que se a filha chegasse em casa e dissesse ter sido estuprada colocaria a filha “de castigo feio” e não denunciaria o estuprador à polícia.

Bolsonaro liga para Lira e acena para possibilidade de se afastar da presidência

Bolsonaro  entrou em contato com o presidente da Câmara Federal, Arthur Lira (PP-AL), para manifestar a possibilidade de pedir licença  da presidência da República. Ele segue internado em São Paulo, com quadro de melhora, mas sem previsão de alta.

Substituto natural, o vice-presidente Hamilton Mourão está em Angola, onde participa de encontro de chefes de estado e de governo da comunidade de países que falam a língua portuguesa. Ele retorna segunda-feira (19) ao Brasil. Até lá, Lira assume a presidência caso Bolsonaro precise se ausentar.

A conversa de Bolsonaro com Lira teria ocorrido na noite de quarta-feira (14), dia em que o PDT protocolou liminar para que o Supremo Tribunal Federal (STF) obrigue o presidente da Câmara a se manifestar sobre os cerca de 120 pedidos de impeachment contra Bolsonaro.

O congresso nacional entrará em recesso parlamentar a partir da próxima segunda-feira. Os trabalhos só serão retomados em 1 de agosto.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *