Greve dos caminhoneiros é iniciada em 6 estados do Brasil
PUBLICIDADE

Greve dos caminhoneiros é iniciada em 6 estados do Brasil

Gabriel Kazuo

21 de outubro de 2021
Atualização:21 out 2021 às 18:49

A Greve Geral dos caminhoneiros contra o aumento no preço da gasolina começou na madrugada desta quinta-feira (21), no Rio de Janeiro, com os transportadores de combustível. No Estado, 1500 caminhões de diversas empresas estão parados, sem trabalhar.

Segundo o sindicato da categoria, a paralização deverá começar ainda na noite de hoje nos demais estados do Sudeste, incluindo São Paulo, além de Goiás e Bahia. No entanto, essa greve deve servir apenas como um ”aviso” ao Governo do que pode acontecer no dia 01 de novembro.

Greve Nacional convocada em 01 de novembro

No começo do mês que vem, o Sindicato dos Caminhoneiros promete realizar uma ”greve de grandes proporções”, dessa vez atingindo todo o País, o que pode comprometer ainda mais a situação dos postos de gasolina nos Estados.

A principal pauta dos grevistas é o aumento abusivo no preço do diesel, gasolina e gás de cozinha, provocado pela inflação, pelo aumento do dólar e do preço do barril de petróleo no Mundo e por um aumento da demanda causado pela flexibilização do isolamento social na pandemia.

Por conta disso, os caminhoneiros esperam que, até a data marcada da greve geral, o Governo consiga criar alguma forma de paralisar a alta nos preços, repassando o mínimo possível da alta do preço do barril no exterior para o consumidor brasileiro.

Se Greve for confirmada, brasileiros podem ficar sem gasolina e sem comida

Se nada for feito pelo Governo, o Sindicato prometeu repetir as manifestações que aconteceram em 2018, que deixaram o Brasil inteiro sem gasolina, e quase sem comida, pois os protestos tiveram apoio de toda a classe caminhoneira naquela época.

Aliás, os impactos dessa greve para a nossa Economia podem ser ainda mais catastróficos, pois acontecem justamente no período em que o comércio começa a aumentar as vendas, por causa da Black Friday e Natal. Com menos produtos sebndo vendidos, a demanda irá aumentar ainda mais e os preços também.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *