×
PUBLICIDADE

Governo de São Paulo anuncia prolongamento da quarentena até dia 15 de junho, em algumas áreas do Estado

Gabriel Kazuo

27 de maio de 2020
Atualização:27 maio 2020 às 20:03

As cidades da Região Metropolitana de São Paulo, Baixada Santista, Registro e Litoral Sul do Estado de São Paulo não foram ‘’agraciadas’’ com a flexibilização da quarentena divulgada nesta quarta-feira (27), pelo governador João Dória (PSDB).

Todas as regiões citadas estão com a situação da pandemia de coronavírus fora de controle e só poderão ir para a Fase 02, onde a flexibilização realmente começa, se adotarem medidas para abaixar a curva da pandemia.

A situação nessas regiões é bastante grave. Das 50 cidades que lideram o ranking da pandemia, a maioria pertence à Região Metropolitana de São Paulo e à Baixada Santista, segundo a Secretaria de Saúde do Estado.Por exemplo, Santos está no 2º lugar do ranking estadual, com 2605 casos confirmados e 112 mortes. Em seguida temos: Osasco (2299 casos e 278 mortes), Guarulhos (2149 casos e 228 mortes), e São Bernardo do Campo (2018 casos e 189 mortes).

Com mais de mil casos aparecem as cidades de: Santo André, Barueri, São Bernardo e Carapicuíba. Com mais de 700 casos temos: Mogi das Cruzes, Mauá, São Vicente e Taboão da Serra.

Conheça o Plano SP de combate ao coronavírus

As equipes da Secretaria da Saúde e da Secretaria Econômica divulgaram um grande plano para a flexibilização da quarentena, tendo como base diversos critérios sanitários e econômico. As 645 cidades do Estado foram agrupadas em 18 regiões, que até que controlem a situação da pandemia, poderão ‘’migrar’’ de fase, a cada semana, podendo ou avançar, ou retroceder na flexibilização. Segundo os secretários, regiões que já estiverem com a situação da pandemia controlada podem já se ‘’fixar’’ em uma das fases, com a perspectiva de avançarem até a flexibilização total:

Fase 01: Chama da de ‘’zona vermelha’’, são regiões onde a pandemia está fora de controle, sendo apenas liberadas as atividades industriais e construção civil;

Fase 02: A ‘’zona laranja’’ são regiões onde a pandemia de coronavírus está muito alta, mas que apresentam protocolos sanitários que permitam com que imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio e shoppings possam reabrir, com restrições;

Fase 03: A ‘’zona amarela’’ são regiões que já começam a registrar uma situação mais controlada da pandemia, permitindo que bares, restaurantes, lanchonetes e salões de beleza reabram, com restrições;

Fase 04: Avançando, a ‘’zona verde’’ libera que cidades reabram academias de ginástica;

Fase 05: Fase final da quarentena, onde as regiões onde a pandemia de coronavírus está controlada podem reabrir parques, centros esportivos, áreas de lazer, teatros, cinemas, shows, festas, eventos culturais e eventos esportivos.

Obs: Escolas, igrejas e templos religiosos não estão no Plano SP, pois dependem de normas específicas de setores competentes (MEC, Secretarias de Educação, CNBB, Arquidioceses regionais, por exemplo) para saberem em que fase e como poderão retornar.

Gabriel Kazuo

Formando em jornalismo pela faculdade ESAMC, é jornalista de editoria geral no Correio do Interior. gabriel.kazuo@correiodointerior.com.br

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.