Globo é processada em 36 mil por sensacionalismo em matéria
PUBLICIDADE

Globo é processada em 36 mil por sensacionalismo em matéria

Gabriel Kazuo

7 de outubro de 2021
Atualização:07 out 2021 às 9:34

A família de um idoso morto por Covid-19 ganhou, na tarde desta terça-feira (05), um processo de R$ 36 mil reais contra a Rede Globo, por abordar a sua morte de forma sensacionalista e constrangedora. A emissora responde por danos morais.

O caso aconteceu no ano passado, no começo da pandemia, onde um idoso de 63 anos havia morrido em uma cidade do interior paulista, que foi alvo de uma matéria do Jornal Nacional.

Segundo a família do idoso, após a reportagem ser feita, eles contam que começaram a sofrer ”preconceito” dos demais moradores, e a forma como a matéria foi conduzida fez com que eles acabassem sendo motivo de discriminação em vários locais, pois muitas pessoas temiam que eles passassem a Covid-19 para outras pessoas.

Ainda por cima, eles acusam a Globo de uso indevido da imagem da vítima e que sequer foram consultados sobre a participação deles no telejornal da emissora. A Globo se defende, dizendo que necessitava mostrar as notícias da pandemia, e que o momento exigia que as pessoas conhecessem ”a realidade dos fatos”.

Marcos Vinicius Krause Bierhalz, juiz que julgou o processo, informou que a emissora tinha o dever de noticiar os fatos, mas deveria também respeitar o direito a privacidade do falecido. A decisão ainda cabe recurso.

Mas afinal, quem está certo?

A Constituição Federal, no seu artigo V, defende a liberdade de expressão e a liberdade de Imprensa. No entanto, a Carta Magna também controla possíveis abusos dos veículos de Comunicação, principalmente os relacionados com o direito de imagem. 

Nesse artigo, há um inciso que garante esse direito, para que as pessoas tenham seus direitos resguardados, em relação à sua intimidade e privacidade. E por conta disso, os veículos de Comunicação não podem veicular a imagem de ninguém, sem autorização das mesmas.

Por conta disso, e mesmo sendo uma matéria de interesse nacional (pandemia), a Globo não poderia ter veiculado a imagem do falecido, pois ela não foi autorizada pelos membros de sua família, cabendo assim o processo por danos morais.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *