Fazendeiro deu abrigo a Lázaro Barbosa por 5 noites e ajudou na fuga

Igor Juan

25 de junho de 2021
Atualização:25 jun 2021 às 20:01

Um fazendeiro foi preso pela Polícia Civil de Goiás, acusado de ajudar o serial Killer, Lázaro Barbosa de 32 anos a fugir das autoridades. Em sua fuga da polícia, Lázaro passou cinco noites na propriedade, afirmou o caseiro da fazenda que também foi  preso com o patrão por ter compactuado com ação.

Conforme boletim de ocorrência registrado, a força-tarefa que tenta localizar Lázaro foi impedida de entrar na propriedade.

Os suspeitos presos que não tiveram suas identidades reveladas vão responder criminalmente por  favorecimento pessoal e posse de arma de fogo. Na fazenda, foram encontradas espingardas e munições.

Os Policiais descobriram que Lázaro estava no local por meio de denuncias. No entanto, ao chegarem na fazenda na tarde do dia 23 de junho os policiais foram impedidos de entrar no local pelo Fazendeiro.

No dia seguinte, equipes retornaram ao local e conseguiram entrar. No interrogatório, o caseiro contou que o dono da propriedade ajudava Lázaro com alimentos e deixando que ele dormisse lá. O fazendeiro não se manifestou.

Veja também: Lázaro conversou e filmou vítimas peladas com celular

O empregado relatou que, na última sexta-feira, 18, recebeu ordens de não deixar policiais entrarem na fazenda. E que, a partir de então, passou a ouvir o patrão chamar por Lázaro na hora do almoço.

O caseiro afirmou que na noite do mesmo dia, viu Lázaro mancando na área da churrasqueira, e que logo depois o fugitivo se dirigiu para uma área de mata. Ao questionar o fazendeiro, teria ouvido como resposta que estava imaginando coisas.

Ainda no depoimento, o funcionário disse que percebeu o retorno de Lázaro na última segunda-feira, 21, porque estava faltando leite e pão. Na quarta, o trabalhador teria sido ameaçado pelo criminoso caso contasse algo para a polícia.

O advogado Ilvan Silva Barbosa nega que os presos tenham ligação com Lázaro. “O caseiro fala que, provavelmente, pode ter visto uma pessoa parecida com o Lázaro. Já o proprietário disse que nunca o viu e não tem contato nenhum com Lázaro”, declarou o defensor.

As buscas por Lázaro Barbosa tiveram início no dia 9 de junho, quando policiais começaram a investigar a morte de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal. Na ocasião, ele matou um homem, uma mulher e seus dois filhos.

Durante a perseguição, Lázaro invadiu fazendas, atirou em civis, entrou em confronto com a polícia e fez uma família de refém.

A operação policial para capturar o assassino conta com cerca de 300 policiais de diferentes forças de segurança, inclusive da Polícia Federal. A ação conta com drones, helicópteros e cães farejadores. No entanto, Lázaro segue sem ser encontrado.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *