×
PUBLICIDADE

Enfermeiro lê cartas de familiares para pacientes internados com Covid-19

Gabriel Kazuo

19 de fevereiro de 2021 - updated: 19 fev 2021 às 14:06

A pandemia de Covid-19 infectou milhões de pessoas no Brasil e deixou um rastro de milhares de mortos. Para quem contraiu a doença e está internado em hospitais, há o sentimento de sofrimento, por não saber o que será do futuro, e solidão, pois muitos deles não podem receber visitas de parentes em seus quartos, para evitar a contaminação.

A doença também causa muita dor e sofrimento para os familiares, que ficam angustiados por não poderem estar perto d pessoa de quem tanto ama. Para amenizar esse sofrimento, Emerson Manuel, técnico enfermagem e estudante de fisioterapia, que trabalha no Hospital Evangélico, em Sorocaba, decidiu fazer um gesto solidário, de ler para os internados, cartas escritas por seus familiares.

O enfermeiro realiza a leitura das cartas sempre que está trabalhando de plantão. Essa atitude vem sendo elogiada pelos familiares, que disseram estar muito agradecidos pela colaboração de Manuel: “Acho um gesto maravilhoso. Acredito que muda o estado de saúde dele, positivo acima de tudo. Os parentes com união, força, oração, a pessoa ouvindo, mesmo estando sedada, está recebendo positividade, orações, acredito nessa energia positiva. A saúde do meu pai é o mais importante, o restabelecimento de todas as pessoas”, disse Vanessa Bacelli, que teve seu pai internado no final do ano passado.

Cartas lidas por Manuel para pacientes que estão internados com Covid-19. Foto- Jornal Ipanema

“Como eu vi a visita que fica do lado de fora, pessoas orando, gritando, querendo que seu ente querido [paciente] os ouvisse. E eu me prontifiquei a fazer isso. Para minha surpresa, quando me ofereci, no outro dia todas as pessoas trouxeram as cartas”. Apesar da tarefa cheia de empatia, Manuel fala que também, muitas vezes, não consegue conter a emoção durante as leituras. “No começo não foi fácil, lemos histórias de muitas famílias sofrendo. Mas é gratificante por ajudá-las”, explica Manuel.

Esse reconhecimento também vem dos pacientes entubados, que dizem que esse ato de amor dá mais força para que eles possam se recuperar. Muitos disseram que, mesmo sob efeito dos sedativos, conseguem entender a mensagem passada por ele, e também se lembram do que ouviram, quando acordam do coma.

Gabriel Kazuo

Formando em jornalismo pela faculdade ESAMC, é jornalista de editoria geral no Correio do Interior. gabriel.kazuo@correiodointerior.com.br

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

"