Em nove meses, 24 pessoas foram picadas por escorpiões na região de Barueri
PUBLICIDADE

Em nove meses, 24 pessoas foram picadas por escorpiões na região de Barueri

Redação

24 de outubro de 2019
Atualização:24 out 2019 às 9:31

Encontrar um escorpião em zonas urbanas já não é algo tão raro nos dias de hoje, e nas cidades da região o cenário não é diferente. Juntas, Barueri e Santana de Parnaíba registraram 24 casos de pessoas picadas pelo animal silvestre, de janeiro a setembro deste ano. Segundo as prefeituras, separadamente, os municípios anotaram 11 e 13 acidentes, respectivamente.

Baseado nos dados apresentados, é possível dizer que, em média, pelo menos uma pessoa foi picada por um escorpião em cada uma das cidades por mês. Em nove meses, 51 animais foram coletados em Barueri e outros 38 em Parnaíba.

De acordo com o biólogo da Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN), Rubens Antônio Silva, de outubro a março é o período com maior incidência de escorpiões. “Esta é a época em que eles mais se movimentam, por conta do aumento nas temperaturas e das chuvas”, explicou Rubens Antônio.
O biólogo ressaltou que, no Estado de São Paulo, o grupo de risco em caso de picadas são crianças menores de dez anos e idosos. “Independentemente da idade, a recomendação é procurar a unidade de pronto atendimento mais próxima para que sejam tomadas todas as medidas de saúde”, destacou.

Cuidados

Segundo Rubens, uma série de fatores propiciam o aparecimento de escorpiões. O principal está relacionado ao acondicionamento do lixo. “Com estes resíduos, surgem as baratas e elas são alimento para a espécie. A orientação é melhorar o ambiente em que moramos, evitando a presença do animal silvestre, colocando soleiras nas portas, telas nas janelas e jogando o lixo de forma adequada”, disse o biólogo.

O especialista destacou ainda a importância de não jogar inseticida no animal. “Eles possuem um mecanismo em que podem ficar horas sem respirar e até um ano sem precisar se alimentar. Por isso, a melhor recomendação é mata-lo de forma mecânica, tomando cuidado com o veneno, e levá-lo para o Centro de Controle de Zoonoses municipal. Assim eles irão verificar se isto foi um fato isolado ou se existem mais na área”, enfatizou. A zoonoses em Barueri fica na Av. Anhanguera 200; em Santana de Parnaíba na R. Ibirapuera 308.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *