Doação de órgãos de Gugu deixa ensinamento aos Brasileiros, comenta Dr. Luiz Teixeira da Silva Junior


28/11/2019 l Atualizada em - 29/11/2019 às 15:35

Pouco se fala no Brasil sobre doação de órgãos, as pessoas tem um pré-conceito inicial de ideias e pensamentos, mas o Gugu deixou isso em sua morte como um grande ensinamento, o captador de órgãos Luiz Teixeira da Silva Junior

Há uma semana a morte do apresentador de televisão Augusto Liberato, popularmente conhecido como Gugu, aos 60 anos, pegou muitos fãs de surpresa, que jamais esperavam uma notícia assim de maneira inesperada. O apresentador muito conhecido por apresentar o programa dominical “Programa do Gugu” nas tardes de domingo do SBT, estava em momento profissional de auge de carreira, atuando também no mundo corporativo como empresário.
Além da morte do apresentador, que ocorreu em Orlando nos Estados Unidos, amigos e fãs ficaram emocionados ao saber pelos familiares que os órgãos de Gugu seriam doados. Durante muitos momentos de sua vida, Gugu relata aos seus filhos e a esposa e demais familiares que gostaria de doar seus órgãos. E o pedido foi atendido.

No hospital em que o apresentador foi levado, Orlando Health, a família anunciou que os órgãos de Gugu seriam doados, beneficiando até 50 pessoas.
No Brasil, o captador de órgãos, Luiz Teixeira da Silva Junior, que atua no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, comentou sobre o caso e destaca que Gugu deixa em sua morte muitas lembranças e saudade aos fãs e também familiares, mas muito mais que isso, deixa um ensinamento valioso, a valorização da vida e a doação de órgãos.

“A morte de Gugu sobre tudo foi inesperada, muito jovem, aos 60 anos, porém ele deixa um exemplo e ensinamento muito grande aos Brasileiros, a doação de órgãos, que salva a vida de muitas pessoas em diversas situações e casos”. Comenta Dr. Luiz Teixeira Junior da Silva

O ensinamento aos Brasileiros é de modo geral, isso porque a taxa de transplante de órgãos nos Estados Unidos, é o dobro da taxa registrada no Brasil. A discrepâncias entre estados brasileiros e falta de equipes para preparar corpos explicam a diferença de um país aos outros, mas também a falta de conscientização das pessoas.

Luiz Teixeira da Silva Junior, pontua que de fato a discrepâncias entre estados brasileiros e falta de médicos na área é um dos fatores, porém a falta de conscientização dos brasileiros é maior ainda.

“Pouco se fala no Brasil sobre doação de órgãos, as pessoas tem um pré-conceito inicial de ideias e pensamentos, mas a doação salva vidas, elimina filas de hospitais em diversas situações e casos, e promove a união de pessoas e amor ao próximo, ensinamentos importantes que foram deixados pelo apresentador Gugu”. Disse o Patologista Clínico

O Estados Unidos está bastante à frente do Brasil no quesito em números. É o quinto do mundo com a maior taxa de transplantes de doadores mortos (atrás de Espanha, Portugal, Bélgica e Croácia). Em 2017, segundo dados do Registro Internacional de Transplantes e Doações de Órgãos, os EUA tiveram número de doadores efetivos de 32 pmp (por milhão de pessoas). A taxa brasileira no mesmo período foi de 16,6 pmp —o país ocupa o 23º lugar no ranking de transplantes, Dr. Luiz Teixeira da Silva Junior informou a imprensa que cadastrou na OPO ( Organização de Procura de órgãos ) todos hospitais onde foi diretor ou superintendente além de abrir qualificação para captação e transplantes de órgãos e tecidos.

“Comparar os EUA com o Brasil é um massacre. Eles investem muito mais. Os estados brasileiros mais desenvolvidos, como São Paulo, têm mais transplantes porque a população é maior, claro, mas também porque há mais hospitais e maior acesso a tratamentos complexos”, diz Paulo Pêgo Fernandes, presidente da ABTO -Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos.

Por fim Dr. Luiz Teixeira ainda ressalta que o ensinamento de Gugu não se dá apenas aos Brasileiros, mas também o Governo do país, para que possa intensificar campanhas eu oriente e fale da importância da doação de órgãos, o que também poderá desencadear investimentos no setor de saúde.

A complementação desta matéria pode ser conferida no site –  drluizteixeira.com.br

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *