Criança mata mãe enquanto ela fazia uma chamada de vídeo ao vivo
PUBLICIDADE

Criança mata mãe enquanto ela fazia uma chamada de vídeo ao vivo

Gabriel Kazuo

13 de agosto de 2021
Atualização:13 ago 2021 às 20:41

Shamaya Lynn, de 21 anos, foi morta acidentalmente por seu filho, nos EUA, no começo da manhã desta sexta-feira (13), enquanto fazia uma reunião de trabalho no Zoom. Segundo os familiares da vítima, a arma de fogo era de posse do pai, e estava num lugar pouco seguro, onde a criança teve acesso.

O tiro foi ouvido e presenciado pelos colegas de trabalho da vítima, que ligaram imediatamente para a Polícia, após presenciarem o corpo de Shamaya Lynn cair no chão, após o impacto da bala. Quando os policiais chegaram, ela já estava morta.

Segundo a imprensa local, a relação da criança com a mãe era boa, e não havia nenhum sinal de briga entre ambos, o que comprova que o crime foi um acidente fatal. Ela ainda tem um irmão, que não se feriu. O pai da vítima irá responder pelo crime e por deixar a arma de fogo em lugar impróprio.

Debate sobre o porte x posse de armas volta à discussão

O caso de Shamaya Lynn ganhou repercussão nacional, e gerou uma nova discussão sobre o porte e a posse de armas, que assim como no Brasil, também é polêmica nos EUA. Apesar de lá ser liberado, muito se discute sobre os cuidados que se deve ter ao deixar as armas em qualquer lugar e se a população em geral deveria ter acesso.

A principal questão é, quem se responsabilizaria se a arma parasse na mão de uma criança, e ela atirasse, conscientemente ou não, contra alguém? Seriam os pais que responderiam pelo ato, ou as crianças deveriam pagar pelo crime. E é esse um dos motivos para que grupos anti-armas critique essa liberação.

E no Brasil?

Assim como nos EUA, a questão é polêmica, e inclusive endossada pelo presidente Jair Bolsonaro, defensor da ideia de que todos os cidadãos deveriam andar armados e comprar armas de fogo livremente. Tanto é que foram aprovadas leis que beneficiam o porte e a posse de armas.

Em relação à POSSE de armas, em fevereiro deste ano, o Presidente sancionou uma Lei que permite que os brasileiros pudessem comprar uma arma, desde que registrada na Polícia Federal, mas que proíbe que o dono ande com ela na casa, local de trabalho ou na rua.

Quanto ao PORTE de armas, somente alguns profissionais podem andar armados, além de policiais e oficiais do exército: advogados, jornalistas investigativos, conselheiros tutelares, juízes e donos de transportadoras tem esse direito.

O Correio do Interior é produzido por jornalistas que apuram e chegacam informações dos fatos diariamente notíciados no jornal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *