×
PUBLICIDADE

Criança de 5 anos sai com amigo da família e acaba abusada e morta

Igor Juan

9 de setembro de 2021
Atualização:09 set 2021 às 12:59

Uma menina de cinco anos morreu após ser atacada e abusada sexualmente ao ser levada ao supermercado pelo amigo de sua mãe. O caso ocorreu na tarde de sábado 4 de setembro na cidade de Lajeado, no Vale do Taquari.

Ao ser abusada sexualmente, o delegado do caso, Dinarte Marshall Júnior, informou ao Correio do Interior que a menina foi encontrada boiando no Rio Taquari e levada ao Hospital Bruno Born, mas morreu minutos depois de ser socorrida.

De acordo com a Polícia Civil, a criança foi convidada pelo homem, que estava em sua casa como visita, a ir a um supermercado próximo. A mãe da menina sem qualquer desconfiança autorizou a filha a ir ao supermercado com o amigo da família.

Uma hora depois de terem saído, a mãe da menina estranhou a demora e logo saiu a procura da filha e acionou a Polícia.

O homem foi encontrado logo depois em uma área de região de mata com as roupas sujas de barro e molhado. Questionado sobre a a menina ele disse que não sabia sobre o seu desaparecimento. Mas ele havia acabado de abusar e matar a criança.

Os Policiais realizam buscas no local onde prenderam o acusado e encontraram assim o corpo de Agatha Rodrigues dos Santos. Ao ser encontrada, foi identificado que ele ainda tinha sinais vitais, porém chegou ao hospital com parada cardiorrespiratória e acabou morrendo.

Perícia e necropsia

Os médicos atestaram que havia sinais de violência sexual no corpo da menina, lacerações que davam indicativo de que tinha sido abusada e morta em seguida. O corpo foi lançado ao rio já sem respirar, informou o delegado do caso.

O homem foi autuado em flagrante e encaminhado ao Presídio Estadual de Lajeado, onde permanece. Segundo o delegado, ele permaneceu em silêncio e não falou sobre o crime.

Ele deve ser indiciado por estupro de vulnerável com morte da vítima e, caso condenado, pode receber uma das maiores penas do Código Criminal, de 30 anos de reclusão, conforme o delegado.

Dinarte afirma que o suspeito tem antecedentes criminais por porte de arma, furto, roubo e chegou a ser preso por ameaça à ex-companheira.

“Foi preso em 21 de julho  por porte de arma, quando, juntamente com mais outro, tencionavam praticar um roubo de uma pessoa que estava anunciando um veículo para venda. Mas, infelizmente, foram soltos no dia seguinte”, lamenta.

Igor Juan

Jornalista editor-chefe do Correio do Interior desde 2016. Formando pela faculdade ESACM Sorocaba. Atuou na RedeTV! e demais meios de comunicação. Correspondente do Jornal Metrópoles em SP com o Correio do Interior MTB: 0082709/SP.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.