×
PUBLICIDADE

Confira dicas para a Prova de Geografia no ENEM 2019

Gabriel Kazuo

12 de outubro de 2019 - updated: 12 out 2019 às 8:10

A Prova de Geografia do ENEM corresponde a 50% da prova de Ciências Humanas, que será aplicada no primeiro dia do exame deste ano, em 3 de Novembro. O grande diferencial dos exames deste eixo é promover uma reflexão sobre aspectos socioambientais e econômicos por parte das questões apresentadas, seja nas questões da própria disciplina, seja nas demais questões de História, Filosofia e Sociologia.

Segundo o site Guia do Estudante, os principais temas que caíram, históricamente, no ENEM foram: Meio-Ambiente (15,5%), Urbanização (10,4%), Globalização (9,1%), Geografia Agrária (6,5%), Indústria (6,2%), Demografia (5,2%) e Geopolítica (5,2%.).

Para dar algumas dicas sobre o exame, ouvimos o professor do curso de Geografia da UNISO e Mestre em Educação da Universidade Ibirapuera, Rodrigo Barchi, que a Prova de Geografia deste ano mantenha o padrão da de 2018: ”Acredito que seja um pouco mais técnica, e aí é interessante focar nos eixos da Geografia da Paisagem (Geologia, Relevo, Vegetação, Clima, Cartografia) durante os estudos. Houve um grande enfoque em temas mais críticos durante os últimos anos, especialmente em relação à desigualdade social e regional, além das questões de Geografia Agrária, as quais, acredito, estarão menos presentes (lamentavelmente) na prova deste ano. Em relação ao nível de dificuldade da prova, não deve haver mudanças substanciais. Provavelmente as questões estarão bem distribuídas em relação ao grau de dificuldade”.

Rodrigo ainda orienta que os alunos calculem bem o tempo da prova, para não correr o risco de acabarem não tendo tempo de responder a todas as 90 questões do dia e que tenham muita calma na hora de ler o enunciado de cada questão.

Na hora dos estudos, Rodrigo sugere que o aluno faça um cronograma de estudos de cda dia, para que o candidato não se perca, pois o ENEM abrange uma gama diversificada de temas, e que exige uma maior concentração por parte do candidato a esses detalhes: ”E dividir os estudos por área. Exemplo: O(a) estudante tem 4 horas diárias para estudar durante a semana. Na segunda feira, dedica uma hora e meia à Geografia, uma hora e meia à Biologia, e uma hora à Química Orgânica. E por aí vai. É interessante sempre estudar componentes de áreas de conhecimentos diferentes, para não haver saturação nos estudos. Para quem faz curso pré-vestibular ou ensino médio, segue à risca o que está sendo dado nas aulas. Se o professor de Biologia falou de evolução humana durante a semana, estuda evolução humana. Caso esteja estudando por conta, o exercício é um pouco maior – apesar de ser muito interessante na organização dos estudos – pois o candidato terá que saber todos os temas e sequencias de cada componente curricular, e criar uma sequência de estudos própria. Boa sorte aos e às estudantes.”

 

 

Gabriel Kazuo

Formando em jornalismo pela faculdade ESAMC, é jornalista de editoria geral no Correio do Interior. gabriel.kazuo@correiodointerior.com.br

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

"