Com Reforma Tributária, Carapicuíba deixa de ser a “mais pobre” de SP


20/08/2019 l Atualizada em - 20/08/2019 às 11:49

Com um orçamento de R$400 milhões e uma população de 400 mil habitantes, Carapicuíba possui o menor orçamento per capita do Estado de São Paulo. Na prática, isso significa que, por ano, a prefeitura conta com R$1 mil por habitante para investir em Saúde, Educação, Obras, Habitação, Meio Ambiente, Cultura e Esportes, dentre outras áreas. “Em termos de comparação, a cidade de Francisco Morato, que está em segundo lugar nesse ranking, tem R$1,5 mil de orçamento per capita, ou seja, 50% a mais que nós. Já a média nacional é de R$3 mil”, afirma o prefeito Marcos Neves. Mas ele também faz uma aposta. Carapicuíba pode deixar esse posto caso seja aprovada a proposta de Reforma Tributária, que tramita no Congresso Nacional.

A principal medida prevista no projeto é a mudança de local de recolhimento de impostos no setor produto. Hoje, as indústrias pagam impostos na cidade onde estão instaladas. Caso a reforma seja aprovada, os impostos passaram a ser recolhidos nos municípios onde há o consumo dos produtos.

“Em Carapicuíba, não temos indústrias. Até porque temos 35 quilômetros quadrados de território. Mas o nosso forte é o consumo. Nossa vocação é comercial”, avaliou, em entrevista concedida à ConecTV. Ele fez ainda críticas ao atual sistema. “O que adianta uma empresa produzir, por exemplo, 200 mil caixas d´água em sua sede se não houve quem as compre. E em Carapicuíba está justamente o consumo”, reforçou.

O prefeito revelou ainda que o tem vem sendo debatido em reunião dos prefeitos do Cioeste, consórcio da região. E que tem como um de seus entusiastas o prefeito de Barueri, Rubens Furlan. “Ele inclusive defende que as cidades que sediam empresas já garantir recursos ao longo destes anos, que garantiram suas conquistas, e que a partir de agora também vão se adaptar a essa nova realidade. Na verdade, todos terão que incentivar o consumo em suas cidades”, completou. Ainda não há prazo para votação da Reforma Tributária pelo Congresso.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *