Brasileiros pedem que Bolsonaro não se posicione entre crise de EUA e Irã


03/01/2020 l Atualizada em - 03/01/2020 às 12:23

Brasileiros temem consequências em possível envolvimento de Bolsonaro na situação das duas Nações

O ano começou marcado por tensões entre Estados Unidos e Irã. Agora, a preocupação dos brasileiros é com a manifestação do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sobre a crise entre as duas nações.

Nas redes sociais, há até quem cogite uma terceira guerra mundial. E a pressão fica ainda maior ao imaginar o Brasil fazendo parte desse conflito. Em meio a essa tensão, brasileiros por toda parte do país na redes sociais lançaram uma Hastag #BolsonaroFicaCalado, pedindo que o chefe do Governo federal não se posicione sobre o então pré-conflito entre os dois Governos.

No Twitter um dos assuntos mais comentados na sexta-feira (03), é a situação entre Irã e Estados Unidos, seguido de  pedidos para que Bolsonaro fique calado e Terceira Guerra Mundial.

Alta nos combustíveis

Os preços do petróleo entraram em choque e subiram mais de 4% depois  do ataque que matou, na quinta-feira (02), o general iraniano Qasem Soleimani, chefe da Guarda Revolucionária do Irã. Com a ação, surgiu no mercado a preocupação de que a crescente tensão no Oriente Médio possa atrapalhar o fornecimento de petróleo.

Nesta sexta (03/01/2020), a cotação nas bolsas da Ásia e Austrália, dispararam após o anúncio do ataque. Um barril de petróleo doce leve’ que recebe esse nome devido às baixas concentrações de enxofre, é agora encontrado no mercado por U$S 63,84, em uma valorização de 4,3%. Já o Brent, um tipo de petróleo cru que é referência na Europa, tem seu barril cotado no mercado asiático a U$S 69,16, uma alta de 4,4%.

Os contratos futuros de petróleo, um dos ativos mais negociados nas bolsas mundiais, também tiveram alta de US$ 1,23 com a morte de Soleimani. Antes do ataque, eles eram avaliados em US$ 67,48 por barril. O mesmo aconteceu com o petróleo bruto do tipo West Texas Intermediate (WTI), que subiu US$ 1,03 e passou a valer US$ 62,21 por barril.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *