Correio do Interior

A Serviço da informação

28 de setembro de 2018

email

Com lei que restringe canudos plásticos, empresários de São Roque (SP) lançam novo ramo no mercado.

By on 4 de setembro de 2018
Item descartável pode demorar até 200 anos para se decompor.

 

“Muitos perguntam se o plástico não é reciclável, ele é, mas fica muito mais barato descartar do que reciclar”, conta Flávia Silveira, proprietária dos canudos de vidro Strawless Ocean. Ela também explica que o vidro é um material muito mais atrativo financeiramente para o processo de reciclagem.

Tendo como principal objetivo a redução do lixo plástico produzido e descartado todos os dias, os canudos reutilizáveis, feitos de um vidro chamado borosilicato, tem sua vida útil a partir do cuidado de quem o usa, e só estraga se quebrá-lo.

Sobre a questão da durabilidade de sua composição, os novos canudos são resistentes ao calor, perdendo a forma somente a partir de 500 graus célsius. A empresária afirma que o produto pode ser levado à lavadoras, e até mesmo, autoclaves. Mas ressalta: “Não são inquebráveis”.

“Acredito que com a quantidade de informação que temos hoje em dia, temos o dever de fazer algo, por menor que seja, para proteger o futuro”.

Além disso, o material é mais higiênico para a nossa alimentação, de fácil limpeza e transparente, o que facilita visualizar sua higienização. O kit do produto é vendido por R$34,90 e nele vem o canudo, uma escova para limpeza e um saquinho de tecido.

Em São Roque, algumas lanchonetes já optaram pelo produto que é vendido para todo o Brasil. Atualmente a empresa está nas redes sociais e a proprietária afirma que em breve eles criarão o site para a Strawless Ocean.

O Projeto de Lei
O vereador Rafael Marreiro de Godoy (PSB) protocolou recentemente um projeto na Câmara Municipal de São Roque que visa o fim do uso dos canudos de plástico na cidade. O Projeto de Lei 60/2018-L está em tramitação e tem como objetivo de diminuir a poluição do meio ambiente ocasionada pelo descarte do produto indevidamente.
Sendo os produtos derivados do plástico os mais poluidores do meio ambiente no Planeta, o canudo é um dos produtos mais encontrados nos oceanos. “Também é um dos mais encontrados nos aterros sanitários porque é pequeno, leve e sem valor para aqueles que vivem da reciclagem”, explica o vereador.
O Rio de Janeiro foi a primeira cidade brasileira a aprovar uma lei que proíbe o uso de canudos de plásticos. Em São Paulo, um projeto tramita na câmara da capital. Na cidade de Cotia, a lei  já foi aprovada e deve entrar em vigor em janeiro de 2019. E aqui na região, uma lei também está em tramitação em Sorocaba (SP).
O texto do vereador são-roquense, se for aprovado, dá prazo de 36 meses para o fim de sua fabricação, 48 meses para o fim da venda e 60 meses para o fim de seu uso.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *