Correio do Interior

A Serviço da informação

28 de setembro de 2018

email

62% dos jovens brasileiros deixariam o país, aponta pesquisa

By on 6 de julho de 2018

Estados Unidos e Portugal são os destinados de maior procura entre os jovens brasileiros. A pesquisa de âmbito nacional foi realizada em maio.

“Fechei o intercambio por seis meses, mas quero estendê-lo por pelo menos mais dois anos e meio.” Afirma a publicitária Bianca Rodrigues, 23 anos, que saiu de Sorocaba (SP) há dois meses para morar em Melbourne, Austrália. Uma pesquisa realizada no mês de maio, pelo Data folha, aponta que 62% dos jovens brasileiros entre 16 e 24 anos mudariam para outro país se tivessem essa possibilidade.

Bianca, que atualmente é modelo e digital influencer, nunca fez curso de inglês no Brasile conta que primeiramente quer estudar o idioma para depois fazer algum outro curso, uma pós-graduação por exemplo: “acredito que quando melhor for seu inglês, maior é a possibilidade de se conseguir um emprego melhor”.

No geral, 43% de toda a população entrevistada almejam essa mudança. As pessoas de 25 a 34 anos totalizam 50% com a mesma tendência de deixar o território brasileiro. Já entre os entrevistados de 60 anos ou mais, somente 24% adotariam essa mudança.

“Eu vim em busca de qualidade de vida e para garantir um futuro melhor para mim e minha família”. Afirma Sidney Giorni, 25 anos, que deixou São Roque (SP) e mudou-se para Boston – EUA., que há pouco mais de um ano está morando em  solo  norte-americano.

Sidney conta também que foi através de um grupo na internet que ele conseguiu a oportunidade de emprego: “Existe um grupo no Facebook chamado ‘Bazar de Boston’, que são brasileiros que trocam informações em relação a diferentes fatores como: trabalho, venda, e prestação de serviços. Entrei nesse grupo e surgiu a oportunidade de trabalho com pintura. Trabalhei oito meses e como não tinha experiência nenhuma, aprendi tudo aqui. Já que as construções americanas são diferentes das brasileiras.” Atualmente ele está trabalhando como motorista da Uber.

Dentre os países mais citados para essa possível mudança, os Estados Unidos lidera (14%); Portugal está logo atrás (8%) e Canadá em terceiro (3%). França, Espanha e Inglaterra detém 2%, Itália, Suíça, Japão, Austrália e Alemanha, 1% cada um. Os demais citados não alcançaram 1%. O Estados Unidos é o destino mais lembrado pelos jovens, e Portugal pelos mais escolarizados.

Na contramão da medicina tradicional, clínica são-roquense é referência em medicina integrativa

Na mudança de país os que mais têm vontade de vivenciar a mudança são os que já têm formação superior, tendo renda familiar superior a 5 salários mínimos.

Leonardo Izuka, 21 anos, está há um mês na cidade de Limerick, na Irlanda, e conta que esperou terminar a faculdade de Publicidade para se aventurar em outro continente. Ele explica que foi para a Europa pois queria mudar um pouco sua rotina. “Não tinha um bom emprego e nada que realmente me impedisse de viver algo diferente, como filhos ou esposa, então pensei que fosse o momento certo.

A pesquisa de âmbito nacional foi realizada entre os dias 09 e 14 de maio, com 2.090 pessoas nas cinco regiões do país. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Reportagem: Rafael Lima l Edição: Igor Juan.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *