Don't Miss

Na contramão da medicina tradicional, clínica são-roquense é referência em medicina integrativa

By on julho 1, 2018

Na contramão da medicina tradicional e ortodoxa, terapias alternativas estão ganhando cada vez mais espaço em hospitais públicos e privados de todo o Brasil. É a chamada medicina integrativa, que busca, através do melhor de cada vertente, promover o bem-estar dos pacientes e chegar o mais próximo possível da perfeição médica.

Voltando um pouco a tempos remotos em que existiam os chamados “médicos de família”, a medicina integrativa busca tratar o paciente como um todo e não apenas continuar com a ideia de que os especialistas enxergam os pacientes apenas como o órgão da especialidade em que clinicam. Uma paciente com câncer de mama, por exemplo, precisa de acompanhamento psicológico também para que o diagnóstico e o tratamento sejam feitos com sucesso. O ser humano, visto e tratado como um todo (corpo, mente e espírito), tem chances maiores de cura e de qualidade de vida.

As especialidades que compõem a medicina integrativa são a medicina tradicional, também conhecida como alopatia, e as terapias alternativas mais variáveis possíveis como: musicoterapia, homeopatia, acupuntura, uso de fitoterápicos, aromaterapia, técnicas de respiração, meditação, quiropraxia, reiki, tai chi chuan, entre várias outras.

Até pouco tempo muito questionadas por estudiosos e especialistas na medicina, as terapias alternativas – agora muito chamadas de complementares – recebem cada vez mais atenção e certificação de eficazes se usadas em conjunto com a medicina tradicional. Atualmente já estão implantadas em diversos centros médicos e inclusive no SUS.

Em São Roque (SP), a medica Fonoaudióloga Beatriz Guntzel mantem uma clinica referencia na área e  e atende adultos, jovens e crianças, com a promoção, prevenção e tratamento da comunicação oral e escrita. Sua clínica fica em São Roque (SP), e ela explica que estas pessoas chegam ao consultório, geralmente por dificuldades escolares, problemas profissionais relacionados à fala ou mesmo em busca de reabilitação no pós-cirúrgico, AVCs, crises de labirintite, patologias vocais, déficit de atenção e hiperatividade, paralisias cerebrais, autismo e síndromes genéticas.

Durante seus 19 anos de atuação, no entanto, Beatriz verificou a necessidade de ir além do convencional, quando ela própria atravessou um problema sério de saúde – que considerou como um ‘chamado de alma’ – conduzindo sua carreira em direção a um olhar mais integral em relação aos processos de cura.

Resolveu, então, estudar e oferecer aos seus pacientes as inovadoras Técnicas da Medicina Integrativa, lançando mão dos tratamentos de Body Talk, Constelações Familiares, Mindfulness e Psych K – não só em casos necessariamente ligados à dificuldade de fala e escrita, como também em processos de autoconhecimento de crianças, jovens, adultos e idosos, nas mais diversas queixas físicas ou emocionais.

Beatriz promove Workshops de Constelações Familiares (terapia breve em grupo com foco nas resoluções dos conflitos) e Mindfulness (técnica de meditação com foco na atenção plena).

Beatriz relata:”atendo meus pacientes de forma individual, com o olhar integral à família e aos relacionamentos do paciente em geral. Recebo as mais diversas queixas e proponho sessões da Medicina Integrativa, de acordo com necessidades de cada um; não acredito em tratar apenas os sintomas, mas enxergo os sintomas e a própria doença manifestada, como a pontinha do iceberg no caminho da cura. Os resultados e oportunidades de autoconhecimento e mudanças são muito profundos”, avalia.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *