Correio do Interior

A Serviço da informação

28 de setembro de 2018

email

Médica são-roquense, Patrícia Bretz fala sobre sexualidade feminina e disfunções sexuais

By on 29 de junho de 2018

Assuntos sobre a  sexualidade feminina é algo que tem muitos mistérios,  sobre esse assunto o Correio do Interior buscou com a médica Ginecologista Patrícia Bretz  de São Roque (SP), ‘desvendar’ tais questões, assim como ela também acredita que  este assunto vem sendo negligenciado e silenciado por anos e anos, diferente do que ocorre com a sexualidade dos homens.

Em primeiro lugar ela  acredita que o preconceito e a falta de informação são os principais fatores que contribuem para que a mulher não atinja o orgasmo ou tenha uma vida sexual sem a qualidade que todas merecemos.

Os dados são alarmantes. As disfunções sexuais acometem cerca de 80% da população feminina, em maior ou menor grau; sendo que os quadros mais severos atingem cerca de 30% desta população de acordo com dados da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Ele diz ainda que a maior parte das disfunções tem, sim, solução e que o primeiro passo é olhar de frente para o problema e procurar ajuda. A questão é que, por vergonha ou medo, muitas mulheres não relatam aos seus médicos suas queixas. Por outro lado, muitos médicos não abordam suas pacientes sobre esta questão. E é preciso virar este jogo.

Em casos mais graves é recomendável a Terapia, a Fisioterapia e o uso de medicamentos, como antidepressivos. Existe também um Aparelho a Laser, indicado para a vulva e vagina, utilizado em tratamentos como a Atrofia Vaginal e Vestibular, Síndrome Urogenital, Disparaurenia, Ressecamento Vaginal, Incontinência Urinária e até mesmo em questões estéticas, como Rejuvenescimento Vaginal, entre outros;  ou seja, contamos com muitas armas nesta luta.

Os hormônios, que podem ser ingeridos ou aplicados, e os avançados implantes hormonais podem ser verdadeiros aliados, pois melhoram muito a qualidade de vida da mulher que está entrando na Menopausa, ajudando toda sua convivência familiar.

O cérebro é nosso principal órgão sexual, no quesito fantasias e atrativo. Permita-se usar toda a criatividade e pensar em sexo. Livros e brinquedinhos eróticos podem e devem ser utilizados. Ensaios fotográficos mais ousados e troca de mensagens picantes, preparando o terreno, com seu parceiro também. Pontua ela.

Por fim, ela diz que aceitação e autoconhecimento são fatores importantes na sexualidade feminina, já que um quilo a mais ou a menos não deve jamais desmerecê-la e certamente, seu parceiro (a) não vai dar a menor importância. De toda forma, compre uma roupinha, faça esportes, entre em contato com a natureza, coloque um perfume, nem que seja para você mesma.  Equilíbrio é a palavra- chave!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *