Correio do Interior

A Serviço da informação

28 de setembro de 2018

email

Em nota, Prefeitura de São Roque alega que não há risco de desabamento em teto de escola escorado com vigas de madeira

By on 2 de maio de 2018

A Prefeitura de São Roque divulgou uma nota à população informando que a situação do teto da escola  Euclides de Oliveira, localizada no bairro Canguera, escorado com vigas de madeira com problemas estruturais há pelos menos 5 meses conforma apurações do Correio do Interior, não oferece risco de desabamento e que p problema só foi informado há um mês pela direção da escola.

A nota ainda diz que o departamento de planejamento da prefeitura solicitou a vistoria técnica do local e que engenheiros do departamento estiveram na unidade escolar, para acompanhar o caso, assim como foi acionada a Defesa Civil, que também esteve no local.

Os engenheiros Fredy Willian Correia Vieira e Pedro Benassi, junto ao diretor de obras da prefeitura Antonio Augusto Godinho, constataram o problema porém, sem risco de desabamento ou situação semelhante e que o suporte no teto  foi colocado por motivo de precaução.

A Defesa Civil destaca que não há necessidade de isolamento da área, pois não há risco de abalo estrutural, especialmente com a instalação dos pontaletes de escoramento. Ao final da note a prefeitura também informou que  já contratou uma empresa que irá realizar os serviços de reparo a unidade e que execução dos trabalhos só será feita durante o período de recesso escolar, afim de evitar transtornos e até risco aos alunos.

Preocupação dos pais 

De acordo com os pais dos alunos o problema ocorre há muito tempo e a colocação das vigas para que o teto tenha maior sustentação só aumenta  a preocupação com estudantes.

O pai de um estudantes que falou com a reportagem do Correio do Interior, ressaltou que a preocupação dele não é apenas com seu filho mas com a segurança de todos os demais estudantes. A principio eles esperam que uma providência seja tomada pela prefeitura da cidade em que possa transferir as atividades escolares da escola para uma outra unidade, para que o problema seja reparado de uma vez.

Em 2012 a escola passou por uma reforma em um gasto total de  R$ 2,6 milhões, sendo construída 11 salas em uma ala com pouco mais de 900 metros quadrados.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *